Do esgoto à energia limpa
Edição Nº 38 - agosto/setembro de 2017 - Ano VII
Esta notícia já foi visualizada 1113 vezes.


Do esgoto à energia limpa



por Suzana Sakai

 

As mudanças climáticas em todo o planeta são alarmantes. O planeta bateu em 2016 seu terceiro recorde anual consecutivo de calor, com uma temperatura cerca de 1,1°C acima da média da era pré-industrial, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM). O século XXI já conta com 16 dos 17 anos mais quentes desde que se começou a registrar as temperaturas em 1880. O aquecimento global se deve a um problema muito conhecido por todos: o efeito estufa. Muito se fala sobre as iniciativas para reduzir as emissões de CO2 e as ações para isso envolvem desde a redução do consumo de carne e tecnologias para diminuir a poluição e a emissão de gases dos efeitos estufa. O tratamento de efluentes também tem um papel importante nesse processo. Isso porque, o esgoto contribui para a geração da bioenergia, uma fonte energética renovável e menos poluente que os combustíveis fósseis.

Biomassa e bioenergia
Chama-se de bioenergia, a energia obtida através da biomassa. Essa fonte energética pode ser utilizada para se gerar calor, eletricidade ou combustível para motores de combustão em geral. Também é considerado bionergia a energia quimicamente armazenada na biomasssa. “A bioenergia tem diversas vantagens, uma vez que é uma fonte renovável e menos poluente que os combustíveis fósseis. Dessa forma, a utilização dessa fonte energética contribui para a diminuição da poluição em grandes cidades, pois o biometano tem zero de emissão de resíduos sólidos e pode substituir ônibus e caminhões movidos a diesel, principais causadores de poluição na zona urbana”, explica Marcelo Rampazzo, Latam Regional Leader da Pentair Process Technologies.
Já a biomassa é a massa total de substâncias orgânicas que ocorrem num habitat. Existem diversos tipos de biomassa no planeta, que podem ser usadas de diferentes formas. “A biomassa é um recurso natural renovável, que pode ser formada de substâncias de origem animal ou vegetal, como casca de frutas, esterco, madeira, restos de alimentos, resíduos agrícolas e florestais, entre outros materiais orgânicos. Ela pode ser utilizada na geração de energia através da sua queima direta ou da geração de metano a partir da decomposição de condições específicas”, afirma Pedro Amaral, gerente de novos negócios da Huber Technology.
No contexto de produção de energia, bioma ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade