REVISTA TAE - Sanepar apresenta inovações e melhorias operacionais em Aracaju

Esta notícia já foi visualizada 193 vezes.

Sanepar apresenta inovações e melhorias operacionais em Aracaju

Data:21/11/2017- Fonte:Sanepar

Cases selecionados pela Abes apontam resultados positivos na gestão dos serviços e na operação dos sistemas de água e de esgoto

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) apresentou nesta segunda-feira (20), em Aracaju (SE), seis cases de inovação em gestão e de eficiência operacional em saneamento pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). Os trabalhos foram apresentados por técnicos da Companhia no Seminário de Benchmarking do Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento (PNQS), depois de serem submetidos a uma banca de avaliadores.

As práticas adotadas pela Sanepar trouxeram resultados positivos nas áreas de atendimento ao público, gerenciamento de contratos de obras e projetos, na redução de perdas de água, na redução de odores nas unidades de tratamento de esgoto e na melhoria da qualidade ambiental.

O trabalho cooperado entre a Sanepar em Cascavel, no Oeste do Paraná, e diversas instituições da região para desenvolver práticas de preservação e de revitalização dos recursos hídricos na região foi um dos primeiros a serem expostos na tarde desta segunda-feira na capital sergipana. A ação, que começou em 2016, foi ampliada de Cascavel para 19 municípios da região em 2017, com a participação das prefeituras e de mais 23 parceiros externos.

Fazem parte do projeto o georreferenciamento dos potenciais poluidores, o monitoramento da qualidade da água dos rios, a recuperação de nascentes e a capacitação teórica e prática de empregados da Companhia e dos parceiros. Além disso, um ambicioso cronograma de educação ambiental integrado pretende levar a educação ambiental nos próximos dois anos, para 20 mil alunos de 62 escolas municipais. A proposta deste cronograma de trabalho será apresentado em seminário da Associação das Empresas de Saneamento do Brasil (AESBE), em Brasília, na próxima semana.

Em Toledo, a implantação de um sistema de gestão da qualidade na área comercial, baseado nos requisitos da norma ISO 9001, tornou possível o controle mais rigoroso de reclamações e solicitações de clientes com o objetivo de aumentar sua satisfação nos serviços prestados. Pesquisas mensais e anuais demonstram que o índice de satisfação do cliente passou de 81,9%, em 2013, para 86,1% em 2016.

Já na região de Ponta Grossa, a Sanepar iniciou em 2015 uma série de melhorias para ter mais organização e transparência na gestão dos contratos de projetos e obras de água e de esgoto. Mecanismos de controle dos prazos e da avaliação das equipes que atuam na gestão e fiscalização tornaram possível, entre outros, a redução dos índices de prorrogação dos contratos de 36% para 9% entre 2015 e 2017.

Em novembro de 2016, a unidade da Sanepar responsável pelas estações de tratamento de esgoto de Curitiba e Região Metropolitana criou um grupo técnico para buscar a neutralização de odores decorrentes do processo de tratamento de esgoto. Do trabalho, resultaram várias mudanças estruturais e hidráulicas, assim como melhoria na gestão de resíduos, ajustes na aplicação de produtos químicos, entre outros. Essa experiência também foi compartilhada em Aracaju.

“A forma com que conduzimos o assunto odor precisa alcançar outro patamar e estar aliada às políticas da Sanepar. A convivência com os nossos vizinhos têm igual ou maior importância que a qualidade de nossos processos internos”, ponderou o engenheiro da Sanepar Charles Carneiro durante a apresentação do trabalho.

EFICIÊNCIA OPERACIONAL - Este foi o primeiro ano em que foram apresentados cases de eficiência operacional em saneamento no encerramento do ciclo PNQS, tendo como tema as perdas nos sistemas de água. Pela Sanepar, dois trabalhos foram apresentados: um desenvolvido na cidade de Terra Roxa, no Oeste do Paraná, e o outro na região de Maringá.

O primeiro mostrou como uma solução relativamente simples para reduzir a pressão de água nas redes de distribuição possibilitou a diminuição de cerca de 25% do volume de água perdido.

Já o segundo apresentou os bons resultados no trabalho de redução de perdas em 166 localidades da regional de Maringá. De 2013 até o ano passado, a Companhia conseguiu reduzir a perda em cerca de 13 litros de água para cada ligação por dia, o que representou economia de R$ 11 milhões para a Sanepar, segundo o técnico de edificações da Sanepar Luciano Ferreira Silva.

Os cases apresentados nesta segunda-feira serão avaliados por uma banca de juízes. Os melhores serão premiados.

Nesta terça-feira (21), durante o dia, ocorreu o Seminário de Benchmarking das empresas vencedoras na categoria As Melhores em Gestão no Saneamento Ambiental, na qual a Sanepar é ganhadora de quatro troféus e compartilhará suas melhores práticas de gestão. À noite, houve cerimônia de premiação e de encerramento do ciclo PNQS 2017.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade