REVISTA TAE - Aumenta número de empresas prestando contas sobre uso de água, diz CDP

Esta notícia já foi visualizada 149 vezes.

Aumenta número de empresas prestando contas sobre uso de água, diz CDP

Data:12/12/2017- Fonte:www.juntospelaagua.com.br

De acordo com o levantamento, das 4.653 empresas que receberam o questionário do CDP em 2017 sobre o tema, 2.025 responderam
 
SÃO PAULO – Um relatório recém-divulgado pelo CDP (Carbon Disclosure Project) sobre as políticas empresariais para gestão de água trouxe uma boa notícia: aumentou o número de companhias que prestam contas sobre o assunto. De acordo com o levantamento, das 4.653 empresas que receberam o questionário do CDP em 2017 sobre o tema, 2.025 responderam – uma alta de 41% em relação aos resultados de 2016, quando 1.432 deram retorno. Mais: entre as empresas pesquisadas, triplicou o número de companhias na “Water A List”, que reúne operações que adotam as melhores práticas disponíveis em gestão de recursos hídricos. O estudo também mostrou que, em 2017, as empresas pesquisadas destinaram US$ 24,4 bilhões a cerca de 1000 projetos no setor espalhados por 90 países.

O preço real da água

Em boa parte do mundo, a água é um recurso que custa relativamente pouco por ser pesadamente subsidiado. Os subsídios, porém, devem desaparecer em um futuro próximo e os custos reais da água chegarão, principalmente, para as empresas cujos produtos dependem desse insumo.

 
Ainda que poucas empresas precifiquem, de forma real, a água necessária aos seus processos, está aumentando o número de companhias que fazem esse cálculo. Atualmente, segundo o CDP, 7% das companhias pesquisadas – o equivalente a 53 empresas – já estabelecem um preço próprio para água – sempre mais alto que o cobrado pelas distribuidoras. Colgate Palmolive, por exemplo, estimou que o preço da água que ela usa é, em média, 2,5 vezes o valor oficial.

Já a Diageo, que atua no ramo de bebidas, tem uma ferramenta que ajusta o preço interno da água diariamente e leva em conta riscos que, tradicionalmente, não são considerados na tarifa oficial. A prática permite que a empresa antecipe alterações de tarifa e variações na oferta do insumo. A prática, aliás, é fundamental para que a Diageo consiga atingir a meta que a própria empresa estabeleceu de reduzir, à metade, o consumo de água de suas fábricas em todo mundo.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade