REVISTA TAE - Fórum Mundial da Água em Brasília deve atrair público de 40 mil pessoas

Esta notícia já foi visualizada 179 vezes.

Fórum Mundial da Água em Brasília deve atrair público de 40 mil pessoas

Data:12/12/2017- Fonte:AGÊNCIA BRASÍLIA

As atividades serão divididas entre o Centro de Convenções Ulysses Guimarães e o Mané Garrincha. Nesta terça (12), governo apresentou planejamento do encontro que ocorrerá em março de 2018

SAMIRA PÁDUA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

Foto: Tony Winston/Agência Brasília


A cerca de cem dias do 8º Fórum Mundial da Água, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e o diretor-presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa-DF), Paulo Salles, apresentaram à imprensa na manhã desta terça-feira (12) o planejamento para o encontro.



O evento ocorrerá de 18 a 23 de março de 2018 e envolverá governo, sociedade civil, empresas e instituições científicas nos debates sobre oferta e preservação de recursos hídricos. O público esperado é de cerca de 40 mil pessoas.

“Será um momento histórico para Brasília porque vamos reunir em torno de 7 mil estrangeiros, os maiores especialistas no tema água do mundo, vários chefes de Estado e o secretário-geral da ONU [Organização das Nações Unidas, António Guterres]”, destacou Rollemberg.

Para o chefe do Executivo, será uma oportunidade de compartilhar conhecimentos e “dar um salto de qualidade na relação com os recursos hídricos, no fortalecimento das políticas públicas de uso adequado da água”.

Esta será a primeira vez que o Hemisfério Sul sediará o fórum, que é considerado o maior sobre o assunto. O tema central será Compartilhando Água.

Evento ocorrerá em dois espaços
As atividades do 8º Fórum Mundial da Água ocorrerão em dois espaços: o Centro de Convenções Ulysses Guimarães e o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Uma das novidades desta edição será a Vila Cidadã, no estádio. Na área, de acesso gratuito, haverá debates, exposições, palestras, atividades culturais, artesanato e área de alimentação.

“A sociedade civil sempre participou de todos os fóruns, mas nunca teve uma predominância tão grande como terá desta vez. A Vila Cidadã vai receber mostras de atividades desenvolvidas pela sociedade civil em todos os países e aqui também”, ressaltou o diretor-presidente da Adasa-DF, Paulo Salles.

O estádio também abrigará exposição e feira. Será preciso inscrição prévia para acessar a área da exposição, que funcionará também como um espaço de negócios. A feira contará com mostras científicas e estandes de instituições que participam do evento.

No Centro de Convenções ocorrerão as cerimônias de abertura e encerramento do fórum, palestras e painéis com representantes internacionais. Para ter acesso ao local, é necessário se inscrever e pagar pela participação.

Inscrições para o 8º Fórum Mundial da Água vão até 15 de dezembro
A participação no congresso ocorre por meio de cadastro no portal do fórum. É possível participar de todos os painéis — com o passaporte para os seis dias —, comprar um passe para três dias ou adquirir passes diários.

Os valores do primeiro lote, que ficará disponível até 15 de dezembro, são: R$ 350 para a entrada diária; R$ 680 para três dias; e R$ 1.138 para o pacote de seis dias.

Estudantes têm desconto e pagam R$ 140 no tíquete por dia, R$ 280 no passe para três dias e R$ 455 no passaporte completo.

Participação do governo de Brasília
O governo de Brasília organizará evento paralelo de governadores e uma sessão especial com apresentação dos principais projetos do Executivo local.

O DF também vai manter um estande na área de exposição com 600 metros quadrados e haverá visitas técnicas e passeios a locais de interesse ao tema, como a Orla do Lago Paranoá.

O que é o Fórum Mundial da Água
Criado em 1996 pelo Conselho Mundial da Água, o fórum foi idealizado para estabelecer compromissos políticos acerca dos recursos hídricos.

O fórum ocorre a cada três anos e já passou por: Daegu, na Coreia do Sul (2015); Marselha, na França (2012); Istambul, na Turquia (2009); Cidade do México, no México (2006); Kyoto, no Japão (2003); Haia, na Holanda (2000); e Marrakesh, no Marrocos (1997).

EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade