REVISTA TAE - Empresas debatem, em São Paulo, propostas para o 8° Fórum Mundial da Água

Esta notícia já foi visualizada 273 vezes.

Empresas debatem, em São Paulo, propostas para o 8° Fórum Mundial da Água

Data:15/12/2017- Fonte:Agência Brasil

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil

Representantes de 80 empresas se reuniram ontem (14), na capital paulista, para participar do evento Rumo a Brasília 2018, reunião preparatória para o 8º Fórum Mundial da Água, que será sediado na capital do país em março do ano que vem. Durante o encontro, estão sendo discutidos desafios do setor privado para usar a água do planeta de forma sustentável. A ideia é integrar as universidades, o governo, associações e organizações não governamentais, sociedade civil e empresas na proposições que serão levadas para o fórum.

O Fórum Mundial da Água ocorre a cada três anos e é uma iniciativa do Conselho Mundial da Água, uma organização internacional com sede em Marselha, na França, composta por representantes de governos, academia, sociedade civil, empresas e organizações não governamentais. As sete edições anteriores foram realizadas em Marrakesh (Marrocos, 1997), Haia (Holanda, 2000), Quioto (Japão, 2003), Cidade do México (México, 2006), Istambul (Turquia, 2009), Marselha (França, 2012) e Gyeongju e Daegu (Coreia do Sul, 2015).
 
De acordo com o diretor de Operações do 8º Fórum Mundial da Água, Rodrigo Cordeiro, em São Paulo, a ideia é engajar, conscientizar e capacitar a todos sobre a importância da água para o desenvolvimento social, econômico e sustentável. Nas reuniões anteriores, em Belém, Belo Horizonte, Tijuana (México) e Santiago (Chile), a discussão gerou cartas com propostas que serão encaminhadas para o fórum. Depois de São Paulo, o evento ocorrerá em Foz do Iguaçu e Salvador.

“Umas das características do fórum é o quanto ele é grande na sua concepção e na sua origem porque toda formação do evento é através de processo democrático no qual qualquer entidade é convidada a propor seus temas, defender suas ideias. Um dos assuntos abordados hoje é o que os participantes esperam do fórum, questão que consideramos muito pertinente porque o setor privado é um grande usuário da água e justamente quem tem interesse em discutir essa questão e seus avanços”, disse Cordeiro.

Cordeiro observou que no encontro da capital paulista há forte representação de instituições do setor de recursos hídricos. "O evento em São Paulo tem uma característica ´mais de negócios´, então o público que está aqui é na sua maioria empresarial e de organizações não governamentais, o que torna o evento diferente do que deve ocorrer nas próximas cidades".

Para Cordeiro, em Foz do Iguaçu, o principal tema deverá ser a Hidrelétrica de Itaipu, com engajamento da sociedade impactada pela usina. Em Salvador, a atenção deve ser para a gestão dos recursos hídricos,para o polo petroquímico e do setor produtivo. Os encontros ocorrerão até fevereiro de 2018.

Edição: Carolina Pimentel

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade