REVISTA TAE - Da plantação ao seu prato, água tratada é essencial para evitar doenças

Esta notícia já foi visualizada 226 vezes.

Da plantação ao seu prato, água tratada é essencial para evitar doenças

Data:19/02/2018- Fonte:www.noticias.dino.com.br

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, grande parte das doenças de origem alimentar são causadas pelas práticas inadequadas de manipulação, matérias primas contaminadas, falta de higiene durante a preparação ou pela deficiência dos equipamentos e estrutura operacional. Sendo assim, a água tratada é essencial para o funcionamento da indústria alimentícia.



Indispensável para a sobrevivência de qualquer ser vivo, a água também é fundamental na indústria de alimentos, desde o plantio dos ingredientes até o consumidor final. As formas de utilização da água são diversas seja como ingrediente para a produção, ou como veículo na incorporação de ingredientes a fórmula e até mesmo como agente de sanitização e limpeza. Além de ser utilizada também como fonte de resfriamento ou aquecimento. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, grande parte das doenças de origem alimentar são causadas pelas práticas inadequadas de manipulação, matérias primas contaminadas, falta de higiene durante a preparação ou pela deficiência dos equipamentos e estrutura operacional. Sendo assim, a água tratada é essencial para o funcionamento da indústria alimentícia e, portanto, deve atender certas características microbiológicas e físico-químicas de acordo com o Ministério da Saúde. Saber de onde vem a sua água e o tratamento que ela recebeu é importante para maior controle e garantia de qualidade do produto final.

Durante o cultivo, a água tratada proporciona proteção aos alimentos, diminuindo a carência de agrotóxicos, além de ser uma ótima fonte de enriquecimento do solo, proporcionando minerais e outras vitaminas para que os alimentos sejam cultivados da melhor maneira possível.

Já na produção de alimentos, os problemas relacionados a água imprópria vão desde a simples alteração do produto, como perda das características nutricionais ou valor comercial, até a ocorrência de intoxicações e infecções alimentares. Cerca de 200 doenças podem ser causadas por alimentos contaminados, a maioria delas provocadas por bactérias, parasitas, agentes químicos, bolores, vírus, e substâncias tóxicas, mais uma razão para aumentar à higienização na indústria alimentícia. Além disso, o excesso de cálcio e magnésio na água pode causar danos a equipamento e utensílios utilizados na produção como a corrosão e incrustação, aumentando os custos de manutenção e possibilitando riscos de contaminação expondo a saúde do consumidor. Segundo o Ministério da Saúde, o controle da qualidade da água deve acatar aos critérios da regulamentação vigente e passar por avaliação frequentemente, assegurando que os produtos alimentícios possuam qualidade físico-química e microbiológica.

Durante o preparo dos alimentos, seja em restaurantes, bares, padarias e lanchonetes, assim como outras empresas que atuam no ramo alimentício, a água tratada é fundamental para a higienização dos alimentos, mantendo-os livres de bactérias e outros micro-organismos que possam fazer mal à saúde dos consumidores. Somente água potável deve ser utilizada na manipulação e no preparo dos alimentos. Até a fabricação de gelo e o vapor que entra em contato com os alimentos precisam seguir o mesmo padrão de potabilidade da água, para que não se tornem fontes de contaminação.

Segundo a Asstefil , empresa especializada em tratamentos de água , são por esses motivos que é recomendável, que a empresas que produzem, fabricam ou manipulam os de alimentos, tenham o seu próprio tratamento de água. "Com tratamento próprio, eles conseguem a garantia que a água utilizada na fabricação de alimentos esteja livre de microrganismos. O controle de qualidade da água garante melhor rendimento na produção, durabilidade de produtos nas prateleiras, qualidade de vida e saúde aos consumidores.

Trabalhando-se com a água tratada dentro dos padrões e recomendações legais vigentes, seja de dureza, teor de cloro residual ou mesmo de substâncias químicas, a qualidade dos produtos da indústria alimentícia é preservada, tornando o estabelecimento capacitado para a produção de alimentos", explica.



Website: www.asstefil.com.br

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade