REVISTA TAE - Ação da Sabesp recupera quase 2 quilômetros do córrego Bussocaba, em Osasco

Esta notícia já foi visualizada 179 vezes.

Ação da Sabesp recupera quase 2 quilômetros do córrego Bussocaba, em Osasco

Data:20/02/2018- Fonte:Sabesp

Um ano após seu início, o programa de despoluição da bacia do Bussocaba, principal córrego de Osasco, já apresenta resultados significativos. Iniciada durante a comemoração do aniversário da cidade em 2017, a ação já recuperou 2 km do córrego – da nascente até o ponto próximo à Cidade de Deus, além de seus afluentes.De imediato, tanto os moradores do entorno quanto aqueles que trabalham na região já perceberam a diminuição do mau cheiro e a limpeza da água do córrego que corta os principais pontos da cidade.Para isso, a Sabesp desenvolveu um amplo projeto de coleta e tratamento de esgoto para toda a região vizinha ao córrego.

Com a construção de 4 quilômetros de redes de esgoto para coletar o efluente de 4 mil novas ligações, a companhia passou a encaminhar, em média, quase 52 milhões de litros de esgoto por mês para tratamento. Isso equivale a todo o efluente gerado no município de Pirapora do Bom Jesus.Essa estrutura instalada é fundamental para despoluir o Bussocaba. Com ela, o esgoto dos imóveis do entorno do córrego segue até a estação de tratamento, já que não basta coletar o efluente apenas dos vizinhos do curso d’água. É necessário recolher e mandar para a estação de tratamento o esgoto de toda a bacia, que tem 16 km² e conta com quase 85 mil pessoas.O investimento de R$ 1,5 milhão contempla ainda a instalação de redes de água e esgoto em núcleos de baixa renda, onde antes a Sabesp não podia atuar por restrições legais. No Parque Primavera, por exemplo, os moradores passaram a ser atendidos não só com a rede coletora, mas também com o fornecimento da água da companhia substituindo os famosos “gatos” (ligações irregulares), garantindo qualidade, consumo consciente e o reconhecimento dos munícipes que agora contam com um comprovante de residência.

Os trabalhos são desenvolvidos em parceria com a prefeitura, que atua na zeladoria no entorno do córrego e na notificação dos imóveis que não estão conectados às redes coletoras. Em Osasco, a ligação de esgotos obrigatória é prevista em lei municipal (nº 4579/2013) e, após a notificação, o morador tem 30 dias para providenciar a conexão. Caso se recuse, ele estará sujeito a multa.Para garantir que a limpeza do Bussocaba no trecho já despoluído seja mantida, é essencial que esses moradores se conectem à rede coletora, evitando lançar esgoto nas águas do córrego. É importante também a colaboração de todos para evitar o lançamento de lixo nas ruas, já que, quando chove, essa sujeira é levada para dentro do Bussocaba.

Próxima fase
A Sabesp deve concluir a primeira etapa da despoluição da bacia do Bussocaba ainda no primeiro semestre deste ano. A partir de então, a empresa avança no trecho entre a região da Cidade de Deus até sua foz, no rio Tietê. Para essa etapa o investimento previsto é de R$ 3 milhões. 

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade