REVISTA TAE - Parceria com Alemanha traz capacitação sobre reservatórios da Sanepar

Esta notícia já foi visualizada 204 vezes.

Parceria com Alemanha traz capacitação sobre reservatórios da Sanepar

Data:26/02/2018- Fonte:Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar)

Treinamento vai ajudar na gestão e conservação da bacia do Rio Passaúna


Empregados da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) estão participando de uma capacitação sobre abordagens inovadoras para a gestão de reservatórios e sedimentos no Brasil. O evento, que usa a sigla internacional SeWaMa, faz parte do projeto Novas Parcerias (NoPa), financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), vinculada ao Ministério da Educação, com apoio da Alemanha.

O gerente de Assessoria de Pesquisa e Desenvolvimento Operacional (APD) da Sanepar, Gustavo Possetti, explica que o evento é uma extensão do NoPa, em que a Agência Alemã de Cooperação Internacional GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit), CAPES e Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT) selecionaram a Sanepar como parceira não acadêmica para o projeto. “As instituições estão financiando o treinamento com professores e pesquisadores e trazendo diretrizes para replicar o conhecimento através de um manual, incluindo também licenças de softwares específicos, somando mais de R$ 100 mil investidos”, afirma. A maioria das pesquisas realizadas pelo SeWaMa tem com objetivo ajudar na gestão e conservação da bacia do Rio Passaúna, onde há a captação de água para tratamento em uma represa de mesmo nome, na Região Metropolitana de Curitiba.
 
A capacitação está sendo realizada em três módulos, um teórico, um prático e um de análise e processamento. O modulo teórico trouxe a preparação para transferência de softwares recomendados pelo NoPa, a serem utilizados na Sanepar. Em campo, os participantes aprenderam como instalar os equipamentos e levantaram os próprios dados, de modo a conhecer a preparação, configuração, calibração e utilização do equipamento e dos softwares relacionados. No módulo de análise, será utilizado o conjunto de dados levantados por cada participante para o pós-processamento, que inclui os processamentos básicos e avançados, concluindo com as aplicações práticas dos resultados que farão parte de um manual técnico.  
 
Os módulos estão sendo ministrados por especialistas e abordam temas como medições de aporte e assoreamento, modelagem de aporte de sedimento da bacia, medições hidrossedimentológicas, medições do aporte na entrada do reservatório e mapeamento do sedimento no reservatório.
 
A capacitação acontece entre 15 e 23 de fevereiro. Parte do treinamento foi realizado nas instalações do Departamento de Hidráulica e Saneamento da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, e na Represa Passaúna.
 
NOPA – O projeto no âmbito do Programa NoPa trata principalmente de sedimentos em reservatórios, entre outros temas. “Os resultados das pesquisas podem contribuir para a melhoria de procedimentos na Sanepar. Buscamos subsidiar a gestão dos mananciais da empresa, com ênfase em reservatórios”, diz Possetti.

Segundo o engenheiro florestal Maurício Bergamini Scheer, a experiência com o NoPa abriu as portas para que a Sanepar seja uma das principais integrantes do Projeto de Aquisição multidisciplinar de dados no manejo dos recursos hídricos (MuDak – Multidisciplinary data acquisition as the key for a globally applicable water resource management). “Este projeto, de aproximadamente 10 milhões de reais, coordenado por pesquisadores alemães, conta com mais de 40 pesquisadores, incluindo mestres e doutores, com grande potencial de enriquecer a Companhia com conhecimento técnico sobre assunto tão amplo. Além de lagos da Alemanha, o projeto tem o Passaúna e o Piraquara II como reservatórios de interesse. Ali estão ocorrendo pesquisas que resultarão em produtos e ferramentas para a conservação da vida útil e da qualidade desses importantes mananciais”, comenta Maurício, coordenador técnico da parceria com a Alemanha por parte da Sanepar.
 
A coordenação geral do projeto NoPa é do professor Tobias Bleninger, doutor em Engenharia Hidráulica e Ambiental do KIT, na Alemanha, e graduado em Engenharia Civil, com especialização em Hidráulica e Meio Ambiente, na mesma universidade. Bleninger trabalha na UFPR como professor em Mecânica dos Fluídos e Matemática Aplicada e vice-coordenador da pós-graduação em Engenharia de Recursos Hídricos e Ambiental.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade