REVISTA TAE - Sanepar apresenta soluções sustentáveis no Smart City Expo

Esta notícia já foi visualizada 250 vezes.

Sanepar apresenta soluções sustentáveis no Smart City Expo

Data:01/03/2018- Fonte:Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar)

Uma maquete da CS Bionergia está exposta no evento

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) apresentou algumas de suas soluções inovadoras para melhorar a infraestrutura urbana das cidades durante o Smart City Expo Curitiba 2018. O evento reúne especialistas em cidades reconhecidos em todo mundo e está ocorrendo entre os dias 28 de fevereiro e 1.º de março na Expo Renault, no Parque Barigui.

O case da CS Bioenergia, resultado de parceria entre Sanepar e Catallini, é um dos destaques da Companhia. A empresa, instalada nas proximidades da Estação de Tratamento de Esgoto Belém, em São José dos Pinhais, está em fase de pré-operação. Ela é uma planta industrial de processamento de resíduos, que transforma simultaneamente o lodo gerado pelo tratamento de esgoto e resíduos orgânicos em energia. Quando estiver em pleno funcionamento, a usina de biodigestão terá em sua primeira fase capacidade instalada de 2,8 MW de energia elétrica, o suficiente para abastecer 2.100 unidades consumidoras ou 8.400 pessoas.

“É muito importante para Curitiba receber um evento da magnitude do Smart City Expo e ter a oportunidade de falar sobre mais essa ação inovadora da Sanepar. Além de ser o que há de mais moderno na América Latina, sob o ponto de vista da tecnologia voltada para o setor de biogás, a CS Bioenergia é uma demonstração clara de respeito ao meio ambiente e de sucesso na busca de fontes sustentáveis de energia”, disse Mounir Chaowiche, presidente da Sanepar.

Uma maquete da planta industrial da CS Bioenergia faz parte do estande da empresa no evento. Técnicos da Companhia estão à disposição dos participantes para passar informações e esclarecer dúvidas sobre os projetos de inovação em andamento.

O Smart City Expo Curitiba é a primeira edição brasileira do Smart City Expo World Congress, realizado anualmente em Barcelona, o maior evento global sobre Cidades Inteligentes, que reúne uma média de 18 mil pessoas de 120 países durante três dias. O evento já foi realizado em outras cidades do mundo, como Kyoto (Japão), Montreal (Canadá), Puebla (México), Casablanca (Marrocos), Istambul (Turquia), Bogotá (Colômbia) e em Buenos Aires (Argentina).

Pesquisa – No primeiro dia do Smart City Expo Curitiba 2018, o gerente da área de Pesquisa e Desenvolvimento da Sanepar, Gustavo Rafael Collere Possetti, falou do papel da Companhia no painel “Economia circular e gestão sustentável de recursos”. Segundo ele, os serviços de saneamento ambiental são fundamentais, uma vez que promovem a saúde pública e a qualidade do meio ambiente, requisitos para o desenvolvimento sustentável das cidades.

Durante a palestra, Possetti também falou de iniciativas da Sanepar para valorizar os subprodutos do processo de coleta e tratamento de esgoto. Todas elas enquadradas na economia circular, onde os resíduos são insumos para a produção de novos produtos.

Entre as ações em curso na Empresa estão as parcerias com a agência de cooperação alemã, GIZ, e com o banco KfW, que resultaram em um financiamento de 50 milhões de euros. Os recursos serão empregados na melhoria operacional de algumas estações de tratamento de esgoto no Paraná, na eficientização energética e na recuperação do biogás.

No mesmo contexto, em que o esgoto não é mais simplesmente um resíduo, mas sim um produto que pode gerar valor à sociedade, Possetti destacou a transformação do lodo de esgoto em insumo agrícola. Esse trabalho para a reciclagem de nutrientes foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como bom exemplo a ser seguido por empresas de saneamento de todo mundo. As perspectivas da Sanepar sobre a produção de água de reúso industrial também foram relatadas e devem fazer parte do portfólio de atuação da Companhia em um futuro próximo.

O gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Sanepar disse ainda que a empresa possui projetos em que já utiliza medições inteligentes e a “internet das coisas”, um termo usado para explicar a otimização de rotinas e redução de custos operacionais, a partir de uma tecnologia embarcada, com sensores e conexões com rede capazes de coletar e transmitir dados.

Na valorização de resíduos, Possetti ressaltou que “boa parte das plantas para recuperação de biogás possuem tecnologias que demandam inteligência, desde o controle de processos até o sincronismo de grupos moto-geradores com a rede elétrica das concessionárias, como já ocorre na Estação de Tratamento de Esgoto Ouro Verde, em Foz do Iguaçu”. Nessa estação, a Sanepar implantou um sistema de geração distribuída de energia elétrica a partir da recuperação do biogás proveniente do tratamento anaeróbio do esgoto, adequado aos requisitos estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade