REVISTA TAE - Alto do Moura ganha sistema de esgotamento sanitário

Esta notícia já foi visualizada 317 vezes.

Alto do Moura ganha sistema de esgotamento sanitário

Data:02/03/2018- Fonte:Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)

Um dos pontos turísticos mais conhecidos de Caruaru, o Alto do Moura, na região Agreste, será contemplado com obra para implantação do sistema de esgotamento sanitário. O projeto, elaborado pelos técnicos da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), a pedido do governador Paulo Câmara, acaba de ser finalizado e a expectativa do presidente da companhia, Roberto Tavares, é licitar a obra em abril deste ano. “Não temos dúvidas de que o empreendimento irá melhorar a infraestrutura da região, berço da arte do Mestre Vitalino e considerado pela Unesco o maior centro de artes figurativas das Américas”, informa Tavares.

A obra receberá um investimento de R$14 milhões e vai beneficiar inicialmente 6 mil pessoas com serviços de coleta e tratamento de esgoto – mas foi projetada para atender até dez mil pessoas, população estimada para o ano 2030. Serão implantados 34 quilômetros de rede coletora e ramais condominiais, uma estação elevatória e serão realizadas cerca de 1,5 mil ligações intradomiciliares. O sistema ainda será composto por uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). A obra é uma realização do Governo de Pernambuco, por meio do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Rio Ipojuca (PSA Ipojuca) e com recursos do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

A maior cidade do Agreste pernambucano também recebe ações de requalificação do sistema de esgotamento sanitário existente, que atua hoje em 14 bairros, o que corresponde a  40% da área urbana de Caruaru. O trabalho inclui a recuperação de quatro estações de bombeamento localizadas no bairro das Rendeiras, Cidade Jardim e Petrópolis. As unidades estão passando por obras de requalificação dos aspectos físicos, instalação de novos conjuntos de motobombas e quadros de comando elétrico. Também está sendo executada a limpeza e desobstrução dos principais coletores-tronco da rede (interceptores), que somam mais de 2,2 quilômetros de extensão, além do cadastramento de 300 quilômetros de rede de esgoto implantada na cidade, para que seja integrada à rede operada pela Compesa.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade