REVISTA TAE - Audiência pública discute retomada de obra de esgotamento em Jacobina

Esta notícia já foi visualizada 248 vezes.

Audiência pública discute retomada de obra de esgotamento em Jacobina

Data:13/03/2018- Fonte:Embasa

A Embasa reuniu cerca de 60 pessoas na noite desta quarta-feira (07) na Câmara Municipal de Vereadores de Jacobina para apresentar e discutir os projetos de engenharia e de educação socioambiental do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) do município, cujas obras devem ser retomadas nesta semana. O evento contou com a presença da gerente de Obras da Embasa, Raíssa Marques; do gerente regional da Embasa de Senhor do Bonfim, Vinícius Araújo; da gerente da Embasa de Jacobina, Tayse Oliveira; do secretário Municipal de Meio Ambiente, Daniel Carvalho, além de vereadores do município, de técnicos da Embasa e lideranças comunitárias.

No encontro, Raíssa Marques apresentou uma síntese do sistema, cuja estrutura prevê a construção de uma estação de tratamento de esgoto, uma estação elevatória, 1.900 ligações intradomiciliares e um total de 167,7 quilômetros de tubulações em diâmetros variados. “Vamos retomar as obras, dando prioridade à conclusão do interceptor, estação elevatória e estação de tratamento de esgoto, permitindo a funcionalidade do sistema em até 24 meses”, afirmou a gerente, que ressaltou a importância da obra para o município e para a qualidade de vida de mais de 35.500 moradores beneficiados. 

Educação Socioambiental  

No encontro, a assistente social da Embasa, Nídia Rocha, e a supervisora de Ação Social do Interior, Rosana Rocha, apresentaram aos presentes o histórico do trabalho social desenvolvido no município, destacando as ações realizadas e os locais atendidos. Foram feitos mapeamentos e diagnóstico socioambiental, reuniões comunitárias, mobilização social, reuniões públicas, plantões sociais, formação de educadores ambientais e de uma comissão de acompanhamento da obra e outras atividades, que devem continuar mesmo após a execução do empreendimento. “As ações sociais desenvolvidas através do Projeto de Trabalho Social (PTS) objetivam contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população da área de intervenção e estimular o comprometimento desta, com a conservação dos recursos naturais e o uso adequado dos equipamentos implantados por meio de processo de mobilização, participação comunitária, Educação Ambiental e Comunicação social”, explicou Rosana Rocha.

Estudo arqueológico

No evento, o público também conheceu através do arqueólogo, Jarryer Pinheiro, informações importantes sobre o licenciamento ambiental da obra e o trabalho de monitoramento e acompanhamento arqueológico feito pela Escola Politécnica da Bahia (UFBA), cujos resultados foram de grande importância para a prevenção do patrimônio cultural-histórico e arqueológico do município.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade