REVISTA TAE - Sanepar e Prefeitura vão recuperar nascentes em Cascavel

Esta notícia já foi visualizada 277 vezes.

Sanepar e Prefeitura vão recuperar nascentes em Cascavel

Data:26/03/2018- Fonte:Sanepar

Nas comemorações do Dia Mundial da Água, 22 de março, a Sanepar e a Prefeitura de Cascavel assinaram termo de cooperação para recuperar fontes e nascentes nas áreas urbana e rural do município. A cerimônia foi realizada na Fonte dos Leões, na área do Lago Municipal. As duas instituições vão unir os projetos Moringa Cheia (Sanepar), Renascer (Prefeitura) e o Programa Integrado de Conservação de Solo e Água (Estado do Paraná).

“A humanidade levou muitos anos para ter água tratada e com qualidade dentro das casas, e com cuidado e boa vontade é possível devolver às futuras gerações o mesmo direito que tivemos e temos de ter água potável e em abundância. Isso é o que nos move a desenvolver projetos e parcerias como esta, que busca a conservação ambiental e de desenvolvimento sustentável”, destacou o gerente geral da Sanepar Renato Bueno. Ele disse ainda que é “desaconselhável que as pessoas façam uso da água das fontes sem tratamento, embora elas precisem ser preservadas”.

O convênio tem um prazo de 180 dias para que uma comissão formada por representantes da Sanepar e da Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Cascavel (Fundetec), façam um levantamento do número de nascentes.

“Catalogado o acervo, queremos iniciar um projeto-piloto em, pelo menos, uma nascente no interior e outra na cidade. Depois disso, vamos ampliar os trabalhos e nos tornarmos referência em conservação”, disse o prefeito Leonaldo Paranhos.

ÁGUA DAS FONTES - Paranhos falou ainda da problemática envolvendo a cultura do uso da água das fontes na área urbana. Ele destacou que a água, mesmo límpida, transparente e inodora, é imprópria para o consumo. “Não podemos proibir as pessoas de consumir esta água. Mas estamos alertando que ela não tem potabilidade e pode trazer prejuízos à saúde; isso não nos tira a obrigação de fazer a preservação das nascentes, pois é nosso dever cuidar das nossas fontes e fazer a proteção da água, que é o nosso maior bem para esta e as próximas gerações”.

O presidente da Fundetec, Alcione Gomes, lembrou que são realizadas periodicamente análises das águas das fontes e confirmou que elas continuam sendo impróprias para o consumo humano. “A possibilidade de trabalharmos na preservação desses mananciais é um grande gesto de respeito à natureza”.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade