REVISTA TAE - Deso realiza II Simpósio de Gestão Ambiental

Esta notícia já foi visualizada 220 vezes.

Deso realiza II Simpósio de Gestão Ambiental

Data:03/04/2018- Fonte: Companhia de Saneamento de Sergipe - Deso

A Companhia de Saneamento de Sergipe - Deso, através da Gerencia Socioambiental – GESA e da Diretoria de Meio Ambiente e Engenharia - DMAE , promoveram nos últimos dias 27 e 28 de março, no auditório central, o II Simpósio de Gestão Ambiental da Deso, com o tema: " As novas demandas para a sobrevivência do Rio São Francisco". Na programação, diversas temáticas com a participação de especialistas na área de Saneamento, Engenharia e afins, onde foi abordado o panorama da realidade hídrica da Bacia do São Francisco e o impacto da crise para a região Nordeste, difundindo as diretrizes da gestão dos recursos hídricos no Estado, no que se refere ao abastecimento sustentável da população.

Os debates fomentaram ações de cooperação e mobilização para a boa gestão e uso sustentável da água, com o intuito de envolver a sociedade nas discussões sobre a desafiadora missão de garantir o abastecimento suficiente em quantidade e qualidade a todos os sergipanos. Na abertura do evento, a apresentação do Coral Cantar das Águas, além   das palavras de abertura durante composição da mesa, com a presença do diretor-presidente da Deso, Carlo Melo, Gabriel Campos, diretor de Meio Ambiente e Engenharia, Carlos Anderson Pedreira, superintendente de Sistema Regionais e Ana Cláudia Monteiro, gerente de Educação Sócio Ambiental da Deso.  

De acordo com o diretor-presidente da Deso, Carlo Melo, um dos temas mais abordados no mundo é a escassez hídrica. "A Deso tem o compromisso de trazer debates e educação ambiental para que as novas gerações possam conviver com essa situação e gerarmos condições para que tenham acesso a água. Vivemos uma escassez hídrica grande, um problema que era só do Nordeste brasileiro e se estendeu para grandes regiões metropolitanas. Somente nos últimos anos que a sociedade se alertou com essa questão ambiental e de lá pra cá, muito pouco vem sendo feito. A preocupação da Deso, por trabalhar com vidas, trabalhar com a água é essa: estamos investindo mais de um bilhão de reais na questão do saneamento, ou seja, levando qualidade de vida, trazendo coleta e tratamento de esgotamento sanitário para toda a população da região metropolitana, para o interior como Lagarto, Itabaiana e Nossa Senhora das Dores em fase final de execuções de obras, para que possamos trazer mais condições e qualidade. E esse ano pretendemos plantar 200 mil árvores no nosso Estado, será um projeto grande do Governo que a Deso estará capitaneando, para que possamos envolver toda a sociedade e plantar essa semente", disse o diretor-presidente.

De acordo com o Prof. Dr. Gregório Guirada Faccioli, orientador do Mestrado em Recursos Hídricos – PRORH/UFS e orientador do Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA/UFS, que participou de do debate no primeiro dia, onde foi abordado “O Panorama do Rio São Francisco e as Perspectivas para seu Futuro”, o evento possibilitou uma troca de experiências muito importante. "Trocamos experiências de pesquisa, além de experiência técnica. O incentivo da Companhia de Saneamento, é de fazer olhar com respeito para a sustentabilidade do rio, é muito importante o trabalho que a Deso está realizando", disse.

Para o Prof. Dr Antenor Oliveira de Aguiar Netto, Associado ao Departamento de Engenharia Agronômica da UFS, a temática abordada no Simpósio é de extrema importância para a sociedade. "O rio São Francisco é vital para o estado de Sergipe e muito importante para os moradores de Aracaju já que 70% do abastecimento de água vem do São Francisco. O nosso diálogo com os integrantes do seminário foi com base na atual situação do São Francisco e quais as perspectivas para o futuro. Citamos problemas do São Francisco que é o excesso de consumo, cunha salina, desmatamento, uso de agrotóxicos que são descartados diretamente no rio. O São Francisco ainda é um local de muita beleza, ainda floresce vida e acho que ainda temos tempo, falo nós como sociedade sergipana, nordestina e brasileira. Devemos cuidar desse rio, não só porque precisamos dele mas porque ele é patrimônio histórico e simbólico para o povo brasileiro", afirmou.

IMPORTÂNCIA DA ÁGUA 
De acordo com  Gabriel Campos, diretor de Meio Ambiente e Engenharia da Deso, o intuito é fazer as pessoas refletirem sobre a importância da água. " O item fundamental na operação da empresa é a água, e é com ela que trabalhamos. Devido as atribuições do dia a dia nem sempre a gente para pra poder refletir, pra poder pensar de que forma a podemos dar um melhor uso a água. Então, um Simpósio como esse, que está na segunda edição, serve como uma pausa na rotina atribulada, para que as pessoas reflitam principalmente entre os nossos colegas e passem a ter um olhar mais amplo sobre como pode ser feito o trabalho com a água, e passe até a conhecer melhor a rotina da empresa, porque muitas vezes em um universo de mais de 1.700 funcionários, muitos dos nossos colegas não conhecem todas as atividades desempenhadas pela empresa. Com eventos como esse, é possível fazer a interação e oferecer conhecimento diante das atividades desempenhadas através da diretoria de Meio Ambiente e Engenharia, através da Gerencia Socioambiental e da Gerencia de Meio Ambiente", disse.

Já no segundo dia, o Simpósio abordou em um painel, "Os Comitês de Bacias Hidrográficas e sua importância na Gestão das Águas”, além de uma mesa redonda com as “Ações Conjuntas para Impulsionar o Resgate do Rio São Francisco”, “ Reflexões Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco”, “O Rio São Francisco em Sergipe” e “Atuações da Deso no Rio São Francisco”. Mário Leo de Oliveira Rodrigues, coordenador de Educação Ambiental da Deso, Msc. Ailton Francisco da Rocha, Superintendente de Recursos Hídricos na SERMARH/SE, Msc. João Carlos Silva Rocha, (Diretor do Departamento de Controle dos Recursos Hídricos da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – SEMARH, Msc. Cláudio Júlio Machado, Gerente de Meio Ambiente da Deso  e Prof. Dr. Luiz Carlos Sousa, Coordenador Geral do Fórum Nacional do Comitê de Bacias Hidrográficas e Coordenador de Preservação e Revitalização dos Mananciais da GEMA/DESO, estiveram presentes e participaram das temáticas abordadas.  

Segundo Mário Leo de Oliveira Rodrigues, coordenador de Educação Ambiental da Deso,  é importante promover esse tipo de evento. "É o segundo ano do simpósio e vamos encaminhar para que o terceiro seja mais amplo que tenha uma participação maior da sociedade civil externa e dos colegas de trabalho também, porque essa troca de experiência é o ponto de partida para o crescimento do entendimento de todos sobre os recursos hídricos, Falamos da água, das ferramentas do sistema de recursos hídricos, porque somos usuários, mas também precisamos estar inteirados do enquadramento do rio, a questão da outorga, da cobrança. E é importante que todos nós da empresa tenhamos esse conhecimento para que saiba divulgar e dialogar com a sociedade.

Para o Prof. Dr. Luiz Carlos Sousa Silva, coordenador de Preservação e Revitalização dos Mananciais da GEMA/DESO, a empresa salta positivamente em relação a organização do segundo simpósio."Trazer discussões sobre o meio ambiente e principalmente de recursos hídricos para a empresa é fundamental e mais importante ainda é trazer a discussão sobre o Rio São Francisco que é o nosso principal manancial. Vejo isso com bons olhos, acredito que a maioria dos funcionários e convidados que participaram desse evento também gostaram porque o nível de discussão foi elevadíssimo, os palestrantes com muito conhecimento de causa e trouxeram uma visão diferenciada do que é o rio, das questões técnicas, e das questões que envolvem os nossos trabalhos sobre o rio. Está de parabéns a GESA, está de parabéns a DEMAE e a Deso por terem proporcionado a todos, esse evento", afirmou.

Para Carlos Melo, diretor-presidente da Deso, a presença da Universidade Federal de Sergipe, reflete em formação de opiniões e plantadores de semente. "Temos que difundir e levar para as escolas, para a sociedade, essa preocupação que cada um deve ter como  meio ambiente. Valorizar esses investimentos que estão sendo feitos, pois o esgoto coletado e tratado traz um benefício grande para toda a sociedade, não só para o meio ambiente mas para a saúde, por isso, debatemos com o intuito de que as novas gerações possam crescer e conviver com a preocupação ambiental, levando essa causa a frente para que possamos garantir a sobrevivência", finalizou.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade