REVISTA TAE - ABES premia municípios do estado de São Paulo com melhores indicadores no atendimento de água e esgoto

Esta notícia já foi visualizada 300 vezes.

ABES premia municípios do estado de São Paulo com melhores indicadores no atendimento de água e esgoto

Data:06/04/2018- Fonte:ABES

Sueli Melo

A ABES, no âmbito do Círculo do Saneamento, promoveu nesta quarta-feira, 4 de abril, em Santos, no litoral de São Paulo, o painel ABES – Prêmio Excelência no Atendimento de Água e Esgoto. O evento aconteceu durante o 62º Congresso Estadual de Municípios -CEM (que termina dia 7), realizado pela Associação Paulista de Municípios, no Mendes Convention Center.

Cinco cidades de São Paulo atendidas pela Sabesp, que recebeu o prêmio como melhor operadora do estado, foram contempladas por se destacarem nos indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto. Foram elas: Santos, Lins, Hortolândia, Botucatu e São João da Boa Vista.

“Temos que reconhecer aqueles que efetivamente fazem a diferença no setor em nosso país”, ressaltou o presidente nacional da ABES, Roberval Tavares de Souza, em sua apresentação. “Temos muito o que fazer, mas tem muita gente trabalhando”, reforçou, ao cumprimentar os prefeitos, representantes e demais integrantes do painel. O presidente da ABES-SP, Márcio Gonçalves de Oliveira, e outros associados da entidade prestigiaram a cerimônia.

Iniciativas das ABES

O presidente nacional da ABES destacou também o Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento – PNQS, que existe há 21 anos, com o objetivo de ajudar as empresas na melhoria da gestão, e o Ranking ABES da Universalização do Saneamento, que tem como objetivo avaliar os quatro itens diretos do Saneamento no país: água, esgoto, resíduos sólidos e drenagem. “Temos trabalhado forte para ajudar as empresas a melhorar a gestão. Criamos o Prêmio de Excelência no Atendimento de Água e Esgoto [no final do ano passado], por entender que são essenciais e podemos premiar as operadoras que estão evoluindo com o atendimento padrão mundial”, explicou. “O Brasil é um país continental, são mais de 5.570 municípios. Temos mais de 30 milhões de pessoas que não têm acesso à água tratada”.

MP do Saneamento

Roberval aproveitou a ocasião para lembrar aos presentes sobre a proposta do Governo Federal de Medida Provisória para revisão do Marco Legal do Saneamento (a entidade se posiciona contra a revisão por meio de MP) e pedir aos prefeitos “um acompanhamento especial” do processo. “Precisamos ficar de olho. Essa é uma discussão político-institucional muito presente dentro da ABES”, frisou o engenheiro.


Saúde e saneamento


O presidente da ABES SP, Márcio Gonçalves, prestigiou o evento.
“Quando falamos em saneamento, estamos falando de qualidade de vida e da saúde da população”, salientou Roberval antes de mostrar dados das cidades de Franca/SP e Bacarena/PA. “São dois exemplos extremos. Franca apresenta índice de saneamento dentro do padrão mundial, com 10,23% de taxa de doença, que significa: uma internação a cada 100 mil habitantes. A cidade de Bacarena tem a taxa de internação de 171%, 18 vezes mais. Qual é a grande diferença?  Estamos falando de saúde diretamente ligada ao saneamento”, enfatizou.

O presidente do Instituto Trata Brasil, Edson Carlos, afirmou que “a contaminação por esgoto talvez seja a forma mais perversa de transmissão de doenças que temos no Brasil”. Ele ressaltou também a importância do Estado de São Paulo no cenário do saneamento brasileiro. “Dos 11 de bilhões que o país investiu no setor em 2016, 4,5 bi vieram do estado, que é a grande locomotiva do saneamento há muitos anos”.

Os premiados



O presidente da Sabesp, Jerson Kelman, ressaltou que chegar ao padrão de excelência “é uma responsabilidade conjunta da Sabesp com os municípios para atingir os padrões que devem ser reconhecidos e premiados. Parabenizo à ABES! Temos muito a melhorar, mas os municípios premiados conseguiram levar saúde para a população.”

“Santos é uma referência de mudança e de saneamento básico”, disse Rogério Santos, chefe de Gabinete da Prefeitura de Santos, que representou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa. “Fizemos trabalho de canal, tratamento e drenagem de esgoto. É o primeiro plano de desenvolvimento urbano moderno do país. Temos vários níveis de qualidade de vida e de excelência. Temos exemplos globais em nosso município e em nossos oceanos”.

O prefeito de Hortolândia, Ângelo Perugini, lembrou que há cerca de 13 anos a cidade tinha 0% de esgoto e 100 mil fossas. “Mudamos esse quadro e estamos com quase 100% de esgoto tratado. Fizemos reservatórios e podemos servir Sumaré e a micro-região. Temos que valorizar esse prêmio”.

Carlos Daer, vice-prefeito de Lins, ressaltou: “somos referência de 300% não só na cidade, mas também na zona rural. Todo esgoto é tratado. Esses dados representam qualidade de vida. Temos zero de taxa de mortalidade infantil. Oferecemos qualidade de vida.”

“Estamos entre as melhores cidades em questão de qualidade de vida, com 56 mil habitantes, afirmou o prefeito de São João da Boa Vista, Vanderlei Borges. Agradeço à ABES e à Sabesp! Estamos felizes e orgulhosos com o prêmio e com os índices de 100% de água tratada e 100% de coleta de esgoto da nossa cidade”.

Mário Pardini, prefeito de Botucatu, contou que a cidade recebia reclamações de falta de água constantemente, no ano de 2011, com 142 mil habitantes. “Investimos em produção, redução de perdas, engenharia de saneamento, hidráulica, operação e trabalhamos para reduzir os números. Hoje, temos uma reclamação por dia sendo a maioria para registro ou cavalete fechado”, disse.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade