REVISTA TAE - São Paulo tem 40% do investimento em saneamento das capitais no país

Esta notícia já foi visualizada 118 vezes.

São Paulo tem 40% do investimento em saneamento das capitais no país

Data:20/04/2018- Fonte:www.saopaulo.sp.gov.br

Entre 2012 e 2016, companhia investiu R$ 9,1 bilhões no saneamento da capital paulista, segundo estudo recente do Instituto Trata Brasil

Do Portal do Governo 

Mais de 40% do dinheiro investido em obras de saneamento nas 27 capitais brasileiras foi aplicado pela Sabesp na cidade de São Paulo. a informação é resultado de estudo do Instituto Trata Brasil divulgado na última quarta-feira (18).

Entre os anos de 2012 e 2016, a companhia investiu R$ 9,1 bilhões no saneamento da cidade de São Paulo, ou seja, média de R$ 1,8 bilhão por ano.

No total, foram investidos R$ 22,20 bilhões nas 27 capitais brasileiras no mesmo período. O Rio de Janeiro, segundo colocado, recebeu investimento de R$ 1,92 bilhão – ou seja, apenas um quinto do que foi aplicado na capital paulista. Recife, em terceiro lugar, recebeu R$ 1,39 bilhão, o que representa apenas 15% do valor aplicado em São Paulo.

Franca no pódio mais uma vez

O novo ranking do saneamento também destaca Franca como o melhor município brasileiro em saneamento pelo quinto ano consecutivo, com 100% de abastecimento de água, 100% de coleta de esgoto e 100% de tratamento de esgoto.

A cidade também é a que mais recebe investimento entre os 20 melhores colocados do ranking. O investimento médio anual por habitante em Franca é de R$ 189,14, cerca de 39% a mais que o segundo município que mais investe.

Outro destaque do estudo é a entrada de Taubaté entre as 10 cidades com os melhores índices de saneamento. O município está na 8ª posição neste ano. No ranking passado estava no 14º lugar. Com isso, duas cidades do Vale do Paraíba estão entre as 10 primeiras posições, Taubaté e São José dos Campos – ambas atendidas pela Sabesp.

O diagnóstico dos principais indicadores de saneamento básico dos 100 maiores municípios brasileiros (em população) tem como base o SNIS 2016 (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), do Ministério das Cidades.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade