REVISTA TAE - Corsan investirá R$ 308 milhões em sistemas de água e esgoto com recursos próprios e do BNDES

Esta notícia já foi visualizada 184 vezes.

Corsan investirá R$ 308 milhões em sistemas de água e esgoto com recursos próprios e do BNDES

Data:08/06/2018- Fonte:Corsan

A Corsan obteve a aprovação de financiamento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A instituição financeira repassará R$ 247 milhões à Companhia, o que corresponde a 80% do investimento de R$ 308 milhões que será realizado. A empresa aplicará os recursos na expansão dos sistemas de esgotamento sanitário de Campo Bom, Jaguarão, Rio Grande, Santa Maria, Torres e Xangri-Lá, bem como na renovação de medidores de consumo de água e na implantação de sistemas padronizados de telemetria em diversos municípios gaúchos.

Serão investidos R$ 191.690.720,62 nas obras de esgoto, beneficiando mais de 200 mil pessoas (confira listagem abaixo). As obras vão viabilizar mais de 18 mil novas ligações de esgoto e a extensão da rede em mais de 250 km, gerando mais saúde, qualidade de vida e preservação ambiental. Já nas ações de renovação de medidores e de telemetria, o investimento será de R$ 117.068.000,00.

Confira abaixo mais informações sobre as obras de esgotamento sanitário:

- Campo Bom (1): implantação de Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de dois módulos com capacidade de tratamento de 50 L/s cada. População beneficiada: 85.204 habitantes. Investimento estimado: R$24.145.919,16. Licitação prevista para o 1º semestre de 2019. Prazo de execução da obra: 48 meses.

- Campo Bom (2): implantação de redes coletoras nas sub-bacias 4, 5 e 6, além da instalação de três Estações de Bombeamento de Esgoto (EBEs 6, 7 e 8) e execução de 7.012 ligações prediais, o que representa um atendimento de 28,7%. População beneficiada: 21.823 habitantes. Investimento estimado: R$ 47.457.189,17. Obra em andamento. Prazo de execução: 48 meses.

- Jaguarão: execução de 2.380 metros de rede coletora na Bacia Leste, duas EBEs de pequeno porte e uma EBE de médio porte em substituição a uma ETE existente que não atende à legislação ambiental. Também será finalizada a ETE Jaguarão. Na nova ETE, em uma primeire etapa, as lagoas anaeróbias serão transformadas em um sistema de lodos ativados para remoção de matéria orgânica, nitrogênio amoniacal e sólidos, assim como está prevista a implantação do emissário final até o rio Jaguarão. As demais etapas serão implantadas de acordo com o Plano Municipal de Saneamento Básico. A vazão desta ETE será de 40 L/s. População beneficiada: 26.000 habitantes. Investimento estimado: R$16.050.000,00. Licitação prevista para o 2º semestre de 2018. Prazo de execução da obra: 48 meses.

- Rio Grande (1): estação elevatória dentro da Furg que servirá como EBE final do sistema de esgotos de Rio Grande. Também é necessária para a interligação dos bairros lindeiros fora do projeto de ampliação. Investimento estimado: R$ 10.000.000,00. Licitação prevista para o 1º semestre de 2019. Prazo de execução da obra: 24 meses.

- Rio Grande (2): rede coletora para ampliação da praia do Cassino, com 15 km de rede tipo separador absoluto e 1.689 ligações prediais, interligando na ETE Molhes existente. População beneficiada: 4.966 habitantes. Investimento estimado: R$ 6.500.000,00. Licitação prevista para o 2º semestre de 2018. Prazo de execução da obra: 48 meses.

- Santa Maria – Camobi (1): execução de 73.074 metros de rede coletora, já em execução, com as respectivas ligações prediais, em número de 5.345. População beneficiada: 23.902 habitantes. Investimento estimado: R$24.427.312,29. Obra em andamento. Prazo de execução: 48 meses.

- Santa Maria – Camobi (2): execução de nove EBEs, para dar funcionalidade à rede em execução (EBEs 1,1.1, 2, 3, 4, 5, 5.1, 6 e Final). População beneficiada: 23.902 habitantes. Investimento estimado: R$ 20.348.950,00. Licitação prevista para o 2º semestre de 2018. Prazo de execução da obra: 36 meses.

- Torres: ampliação do sistema nas bacias 7, 8, 9 e 11, com a execução de rede coletora e das EBEs 7, 8 e 9. Essa ampliação proporcionará um incremento de 19% em atendimento no número de economias, totalizando ao final 70% de atendimento em esgotamento sanitário. Serão executadas 3.840 ligações prediais. (R$ 23,96 mi) e a modernização da ETE para vazão de 210 L/s (R$12,5 mi). População beneficiada: 11.300 habitantes. Investimento estimado: R$ 36.461.350,00. Licitação prevista para o 1º semestre de 2019. Prazo de execução da obra: 48 meses.

- Xangri-Lá: a ETE Figueirinha deverá manter as bacias de infiltração existentes e, a partir da implantação da estrutura de tratamento – bloco hidráulico de 20 L/s – as mesmas passarão a ser utilizadas como estrutura de disposição final de efluentes. A ETE atenderá aos padrões estabelecidos pela legislação ambiental. Para o deságue do lodo gerado no processo, serão instalados leitos de secagem. A vazão do módulo a ser implantado está condicionada à capacidade de infiltração das bacias de infiltração existentes. População beneficiada: 10.500 habitantes. Investimento estimado: R$ 6.300.000,00. Licitação prevista para o 2º semestre de 2018. Prazo de execução da obra: 30 meses.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade