REVISTA TAE - ETE MAC terá estação de água de reuso para distribuir às indústrias

Esta notícia já foi visualizada 240 vezes.

ETE MAC terá estação de água de reuso para distribuir às indústrias

Data:05/10/2018- Fonte:www.z1portal.com.br

Na fase piloto a distribuição será feita com caminhões e conforme a demanda for aumentando, já está em projeto a implantação de uma nova rede para a distribuição dessa água de reuso. 


Está sendo concluída esta semana a ampliação da Estação de Tratamento de Água de Reuso na obra de ampliação, da Estação de Tratamento de Esgoto Mário Araldo Candello (ETE MAC), localizada no Distrito Industrial Vitória Martini, pela Construtora Elevação, responsável pela obra e realizada pelo Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE). A ampliação dessa estação visa fornecer água de reuso às indústrias, localizadas no Distrito Industrial de Indaiatuba, pensando na redução do consumo de água potável e aumentando a disponibilidade hídrica. 

A intenção é diminuir o volume de efluentes lançados nos mananciais tendo um ganho ambiental e a distribuição de uma água com menor custo do que a potável, uma vez que quase 80% do volume utilizado pelas indústrias requer água com baixo grau de qualidade para diversas utilidades que não envolvem o consumo humano, como instalações sanitárias, resfriamento (sem contato), lavagem de unidades e equipamentos, processo de produção/testes hidrostáticos e irrigação de jardins. 

Na fase piloto a distribuição será feita com caminhões e conforme a demanda for aumentando, já está em projeto a implantação de uma nova rede para a distribuição dessa água de reuso. “Esta é uma grande obra, que colocará nossa cidade em pé de igualdade as cidades mais modernas quando falamos de saneamento básico”, afirma o superintendente do Saae, engenheiro Sandro Coral. ETE Mário Araldo Candello A estação utiliza um dos mais avançados métodos de tratamento de esgoto do mundo: o biológico, pelo processo de lodos ativados por aeração prolongada com ar difuso, cuja finalidade é introduzir ar atmosférico na massa líquida. 

A eficiência mínima será de 95% na remoção de DBO e de 80% na remoção de nutrientes (NTK). A ampliação também contempla o modelo de tratamento terciário através de desinfecção do efluente por hipoclorito de sódio e utilização de membranas ultra filtrantes no processo de produção de água de reuso. O resultado do tratamento será um produto que poderá ser utilizada por empresas que não usam água tratada em suas linhas de produção, para lavagem de ruas e rega de jardins. Com informações da Prefeitura de Indaiatuba Imagem: Marco Matos – DCS Saae

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade