REVISTA TAE - Diretores recebem livro Construindo a Segurança Hídrica

Esta notícia já foi visualizada 710 vezes.

Diretores recebem livro Construindo a Segurança Hídrica

Data:27/11/2018- Fonte:Coordenadoria de Comunicação Empresarial da Cesan

Uma visão atual e ampla das ações de gestão, obras e criação de pactos para a construção da segurança hídrica. Este é o conteúdo do livro “Construindo a Segurança hídrica”, de Percy Soares Neto e Valmir Pedrosa, que foi presenteado ao diretor presidente, Amadeu Wetler; ao diretor Operacional, Luiz Cláudio Rodrigues;  e ao diretor Administrativo e Comercial, José Eduardo Pereira, na manhã desta segunda (26).

A publicação, que contém informação sobre o Comitê Hídrico do Governo do Espírito Santo, é voltada para estudantes de graduação, pós-graduação, professores, membros de comitês de bacias hidrográficas, consultores, gestores públicos, gerentes executivos, analistas, e especialistas, entre outras relacionadas ao tema da gestão dos recursos hídricos.

O Comitê Hídrico Governamental promoveu intenso debate social e técnico, e decisões importantes foram tomadas, como gestão conjunta da barragem de Rio Bonito, priorizada para abastecimento; abrir 24 poços; carros-pipa; uma intensa comunicação. Um diferencial foram os Acordos de Cooperação Comunitária entre usuários dos rios e Comitês de Bacia. Ações estruturantes foram aceleradas: e o sistema de abastecimento Reis Magos, previsto para 2020, inaugurado em 26 de outubro de 2017. A represa no Jucu – Barragem dos Imigrantes, reforçará o fornecimento para um milhão de habitantes, com início de obras prevista para 2019.  Já a Seag prevê a construção de 61 barragens, sete em convênio com a Cesan.

O livro foi entregue aos diretores pelo autor, Valmir Pedrosa, e pelo gerente geral de Sustentabilidade e Relações Institucionais da ArcelorMittal Tubarão.

Segundo o presidente Amadeu Wetler, a crise hídrica não terminou e há muito a fazer. ”Na visão de futuro e nas estratégias, estamos todos focados. A crise hídrica, a pior nos últimos 80 anos, trouxe a discussão sobre o meio ambiente para o centro da agenda dos capixabas de uma maneira nunca antes vista. Preservar, recuperar, reservar água, despoluir mananciais e economizar tornaram-se palavras recorrentes”.





+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade