REVISTA TAE - JPS-SP discute o cenário do saneamento com os novos governos

Esta notícia já foi visualizada 633 vezes.

JPS-SP discute o cenário do saneamento com os novos governos

Data:28/11/2018- Fonte:Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES

Suely Melo


A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES Seção São Paulo (ABES-SP) e o programa Jovens Profissionais do Saneamento (JPS-SP) realizaram nesta segunda-feira, 26 de novembro, na sede da entidade, o debate “O futuro Político do Saneamento nos Novos Governos”. O evento reuniu jovens, diversos profissionais da área de saneamento em todos os níveis, e foi moderado pelo coordenador do JPS-SP,  o geógrafo Thomas Ficarelli.

O coordenador do JPS-SP apresentou as propostas de Jair Bolsonaro (PSL),  eleito presidente do Brasil, e João Dória (PSDB), eleito governador do estado de São Paulo, com relação ao saneamento.

Bolsonaro propõe a agilização do licenciamento ambiental, mais PPPs e participação em Infraestrutura, hidrovia, energias renováveis no Nordeste (Eólica e Solar).

Após a eleição, o que se tem até agora são ações rumo a um Superministério e à saída do Brasil do Acordo de Paris, união das pastas de Meio Ambiente e Turismo e criação da Secretaria das Privatizações.

Já o governador eleito Doria prometeu ações para a despoluição dos rios Tietê e Pinheiros, continuação das obras para conectar reservatórios e bacias, capitalização da Sabesp, para que faça a coleta de resíduos sólidos, ampliação dos índices de coleta e tratamento de esgoto e privatização da Hidrovia Tietê Paraná. E nomeou o engenheiro civil com especialização na FGV, Marcos Penido.

Na roda de conversa diversos temas foram discutidos, entre eles: eleição, representação política, MP844/2018 (que perdeu a validade recentemente e contra a qual a ABES e outras entidades do saneamento se opuseram (veja mais aqui), água, saneamento, esgoto e coleta de resíduos sólidos, concessão de parques, tarifas, drenagem, prestação de serviços, bacias, gestão, democracia e poder, mercado, redução de perdas, projetos, burocracia, órgão licenciador.

O engenheiro Hélio Nazareno Padula Filho, Diretor e Membro do  Conselho Fiscal da ABES-SP, participou do evento e comentou sobre a importância dessas discussões:

“Falei uma coisa aqui na reunião que resume bem o espírito desse encontro. A ABES era assim há anos atrás quando a minha geração tinha a idade desses jovens. Fico feliz de ver a entidade inovando, renascendo, como já vi uma vez e o movimento precisa continuar. Os jovens participantes são o futuro do saneamento, precisam ter ideias firmadas e discutidas como aconteceu hoje. É isso que faz a ABES progredir e se consolidar como uma entidade representativa de verdade.

Para Ficarelli, é importante realizar uma conversa como esta pós período eleitoral, num cenário com novos governos nos próximos quatro anos, e poder obter diversas opiniões do público sobre a área de saneamento:

“Podemos ouvir diferentes pontos de vista dos participantes sobre as questões que estão em ascensão, como a MP844/2018, privatizações, centralização de poder e autoridade. Os problemas sempre irão existir, mas foi bom ver os valores e as soluções apresentadas pelo público”, finalizou o coordenador do JPS.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade