REVISTA TAE - CASAN leva informações à população de Concórdia

Esta notícia já foi visualizada 592 vezes.

CASAN leva informações à população de Concórdia

Data:11/12/2018- Fonte:CASAN

Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, a CASAN levou informações para moradores de Concórdia sobre os números da Companhia na cidade, sobre os investimentos atuais e melhorias que ainda são necessárias no Sistema de Abastecimento de Água. Durante o encontro o atual chefe da agência, Gerson da Silva, e o assessor de comunicação, Ricardo Stefanelli, também corrigiram informações distorcidas que estão sendo difundidas por um vereador da cidade.

Acompanhe os principais pontos:

- Na última década, 18 municípios deixaram o Sistema CASAN, sendo que 4 outros retornaram à Companhia, 5 novos ingressaram e pelo menos 2 dos que saíram estão em tratativas para retornar. Gostaríamos de saber de onde o vereador se baseia para afirmar que “105 municípios abandonaram a CASAN nos últimos anos”. A CASAN opera os sistemas de 195 municípios catarinenses e um do Paraná.  

- O custo com Despesa de Pessoal da CASAN, em Concórdia, é de 400 mil/mês, o equivalente a R$ 5 milhões/ano. Este custo considera além dos empregados de Concórdia o custo rateados com funcionários de todas as áreas-meio, que atuam nas Superintendências e na sede para proporcionar um atendimento de qualidade e oferecer, quando necessário, especialistas como engenheiros projetistas, geólogos, analistas de laboratório e outros que sairiam caro se incorporados às agências locais. A atuação integradora da CASAN ajuda a reduzir custos e oferecer um leque de especialidades específicas de acordo com a necessidade de cada sistema. 

 - A CASAN não tem salários de R$ 40 mil, como afirma o vereador. 

- A CASAN já extinguiu a função de telefonista e as únicas duas ainda pertencentes ao quadro de pessoal permanecem com esta função porque ingressaram ainda na década de 1970. Elas não ganham R$ 9 mil como afirmou o vereador e nem estão lotadas em Concórdia, como alguém poderia supor a partir da fala dele. A CASAN terceirizou o Sistema de Teleatendimento e conta hoje com uma Central 0800 que é considerada modelo no país, pois tem média de espera de apenas 13 segundos por usuário.
 

COMPARAÇÕES INDEVIDAS

- O vereador gera confusão ao comparar a cidade de Concórdia, de 73,2 mil habitantes, com o sistema integrado Joaçaba-Herval do Oeste- Luzerna que, somado, chega a 55 mil habitantes.

Não sabemos se os números que o vereador apresenta do Serviço Intermunicipal de Água e Esgoto (Simae Joaçaba) estão corretos, mas ele afirma que o Simae tem 99 funcionários – o que significa 3 vezes mais do que a CASAN de Concórdia - e uma folha de R$ 6 milhões/ano – o que significa R$ 1 milhão a mais mesmo que o órgão intermunicipal gerencie uma população 20% menor do que a CASAN de Concórdia. 

- Também comparando situações incomparáveis, o vereador compara o salário de um diretor-presidente que administra uma empresa que atende uma população de 2,7 milhões de pessoas e gerencia 2,4 mil funcionários em 196 municípios catarinenses com um presidente que administra uma empresa que atende 55 mil habitantes de três municípios e tem 99 funcionários para gerenciar. 

- Ainda seria interessante esclarecer que a geografia de morros, muitos bairros localizados nas regiões mais altas e o solo pedregoso de Concórdia exigem características de operação totalmente atípica, como o maior número de motorbombas da CASAN no Interior. O sistema do município tem 35 estações de recalque e duas Estações de Tratamento que consomem 12.357.271 kWh por ano e geram um custo anual de R$ 6,2 milhões apenas nesta rubrica. E é a cidade onde o maquinário, como retroescavadeiras, tem mais necessidade de conserto ou mesmo substituição.

 

“A CASAN não investe em Concórdia”:

A CASAN tem sido transparente com a população ao reconhecer um passivo no abastecimento. Nas primeiras quatro décadas houve dificuldade de investimentos, mas que foram sanadas nos últimos cinco ou seis anos com o equilíbrio econômico da estatal. O déficit inicial originou o passivo no abastecimento da cidade, mas tem nos motivado a investir.  

Concordia é hoje a cidade do Interior que mais recebe recursos em Sistemas de Abastecimento de Água (SAA) da Companhia, sendo que apenas em três principais obras investimos mais de R$ 8 milhões com uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA), 5 quilômetros de adutora, modernizamos totalmente a Estação de Recalque de Água Bruta (ERAB) do Rio Jacutinga e ampliamos a unidade de captação junto ao Rio Suruvi.

Realizamos, recentemente, melhorias na Estação de Recalque ERAT 15, que atende os bairros Portinari, Morro do Merlo, Vale dos Pinheiro e Zamprogna. Nesses locais havia problemas crônicos e que estão seno sanados de forma mais estrutural e definitiva.

Em parceria com a Prefeitura, estamos substituindo e redimensionando redes antigas em diversas ruas da cidade. Ao todo, 42 kms de redes serão substituídas, sendo que 14 quilômetros já estão em andamento, colocando diâmetros maiores e agora sob o passeio, num investimento de R$ 742.194,22. 

Sem falar nos R$ 40 milhões para ampliar a coleta e o tratamento de esgoto, uma grande obra que estará concluída no primeiro semestre de 2019 e que vem movimentando a economia local.

Há muito ainda a fazer para melhorar de forma definitiva o abastecimento da cidade e, reiterando, não questionamos nem rebatemos as críticas operacionais, principalmente quando elas são consistentes e verdadeiras. 


PRINCIPAIS INVESTIMENTOS RECENTES

Estação de Tratamento de Água Linha São Paulo
Investimento total: R$ 2.470.000,00
Etapa 1 - ETA metálica, compacta, 30 l/s + materiais e 3.345 m de rede.
Etapa 2 – Adutora: 2.370 metros de rede interligação
Investimento: R$ 1.290.000


Captação no Rio Jacutinga/Ampliação
Investimento: R$ 5.255.941,00
 

ERAB 1 e ERAB2: obra civil (nova estrutura), elétrica (quadros de comando e instalação de motores), mecânica (bombas) para ampliar e modernizar sistema de captação de água bruta.

Melhorias Operacionais recentes

R$ 950.299,00

Conjunto de 19 ações para o sistema de distribuição de água (adutoras e bombas): ERAT3, ERAT4, ERAT6, ERAT8, ERAT16 e ERAB III (Rio Suruvi).

Quadros elétricos de comando
Instalação de inversores de frequência nas ERAT 2 e ERAT 7 para melhorar sistemas de bombeamento.

Melhorias na ERAT 15
Benefício: bairros Portinari, Morro do Merlo, Vale dos Pinheiro e Zamprogna.

Bairro Guilherme Reich
Nos próximos dias será instalado um motorbomba (booster) mais potente para melhorar abastecimento à parte mais alta do bairro.

Ampliações de redes
Extensão até a Rodovia Caetano Chiucheta e à Linha Santa Terezinha.

Substituição de 42 Kms de redes
Investimento: R$ 742.194,22.  

Conservação em Instalações - SAA
Pinturas internas e externas, trocas de piso, consertos em telhados, melhorias estéticas
Valor: R$ 415.566,22


Horas/Máquina
Valor: 375.000,00
Em função da topografia diferenciada. Uso de rompedor,  caminhão-basculante, caminhão-caçamba e escavadeira.

Repavimentações
R$ 2 milhões no dia 13 novembro de 2018 para consertos de vias abertas para consertos no sistema de água

Veículos pesados
2 caçambas novas (adquiridas)
2 retroescavadeiras novas (locadas)

Para 2019: Reservatório e Adutora

Uma nova adutora de 2.686 metros, 250mm de diâmetro, ligará a Estação de Tratamento de Água (ETA) Linha São Paulo a um novo reservatório de 120 mil litros que será instalado no Morro do Merlo.

Essa adutora atuará como linha de recalque, pois uma nova Estação de Recalque de Água (ERAT) será construída junto à ETA para bombear até o novo reservatório.

Oito bairros beneficiados: Morro do Merlo, Portinari, Imigrantes, Parque de Exposições e Cinquentenário.  Em paralelo, esta obra reduzirá a atual demanda da ERAT6 e da ERAT8 com o objetivo de melhorar o abastecimento aos bairros Frei Lency, Frei Lency2 e São Cristóvão.

Investimento: R$ 1milhão

População atendida: 2600 unidades consumidoras – equivalente a 13 mil pessoas.

Prazo de conclusão: dezembro de 2019
 

  

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade