REVISTA TAE - Produtor rural recebe lodo do esgoto em Lunardelli
Esta notícia já foi visualizada 954 vezes.



Produtor rural recebe lodo do esgoto em Lunardelli

Data:14/12/2018
Fonte: Sanepar

Expectativa do agricultor é que o produto aumente a produtividade da plantação de laranja-pera


O produtor rural Edivaldo Tambarussi recebeu esta semana10 toneladas de lodo de esgoto higienizado para aplicação em 1.200 pés de laranja-pera, que ele cultiva no Sítio Madrugada, em Lunardelli. Ele ainda irá receber mais 14 toneladas do produto. “A orientação foi do agrônomo que me dá assistência e que atende outros produtores de laranja, com bons resultados”, diz. Edivado então procurou a Sanepar em sua região e se cadastrou para receber o produto.

Hoje, a produtividade da laranja plantada por Edivaldo é de 120 kg da fruta por pé. O engenheiro agrônomo Fábio Mulati, de Nova Esperança, que dá consultoria a Edivaldo e a mais 21 produtores de laranja, afirma que em média o aumento é de uma caixa por pé (40,8 kg). Segundo ele, dos 22 produtores da região que ele assiste, 8 já utilizam o lodo como adubo. “É que a Sanepar atende os pequenos produtores, então os maiores não têm como utilizar”, afirma.

O primeiro produtor de laranja, a quem o agrônomo dá consultoria, que começou a usar o lodo como adubo foi há 7 anos, em Flórida, e o resultado foi muito bom. “Eu sempre utilizei adubo orgânico, mas o lodo que vem da Sanepar está no topo, é um ótimo condicionador de solo”, explica. Segundo Fábio, no primeiro ano de uso, há uma melhora no aspecto visual da planta, com folhas mais verdes e vistosas. O incremento na produtividade começa a partir do segundo ano.

Outra melhoria observada, segundo o agrônomo, é que com o uso do lodo ao longo dos anos, não há oscilação entre as safras. “As safras são semelhantes. Se em um ano a produção foi de 3 caixas, no outro será de 3 ou mais porque a arquitetura da planta é maior e o abortamento e o estresse são menores onde se utiliza o lodo da Sanepar.”

O lodo entregue em Lunardelli foi produzido e higienizado na Estação de Tratamento de Esgoto Pindauvinha, em Ivaiporã (a 24 km da propriedade rural). O transporte foi feito pela Sanepar. O produtor não pagou nada para receber o produto. Este atendimento tem supervisão do técnico químico Antonio Paulo Mancino e da engenheira agrônoma Sandra Silveira, ambos da Sanepar.
 
A Sanepar desenvolve o Programa de Uso Agrícola do Lodo de Esgoto desde 2002, depois de pesquisas comprovarem que o material pode ser usado na agricultura, em determinadas culturas. Para isso, o lodo passa por um processo de higienização com cal virgem a 30% do peso seco do lodo, e análises laboratoriais que comprovam as características físico-químicas e biológicas. O solo que vai receber o produto também é analisado para determinar a quantidade necessária de adubação.

Sandra explica que a liberação dos lotes de lodo para as propriedades agrícolas é feita pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) depois de verificar as análises laboratoriais. “Ao chegar no agricultor, o lodo pode ser utilizado com total segurança”, afirma. Diversas culturas podem receber o produto, como soja, milho, trigo, aveia, café, laranja, amoreira e cana-de-açúcar. O seu uso é vedado em hortaliças, pastagens, cultivo de mandioca e outros produtos comercializados in natura.

O gerente regional da Sanepar Luiz Carlos Jacovassi afirma que o programa de uso do lodo beneficia o agricultor, com aumento de produtividade sem adubação química, e também o meio ambiente. “Sem esta destinação, a Sanepar tem que levar o lodo até um aterro. Na agricultura, há um uso sustentável deste subproduto gerado no processo de tratamento de esgoto.”

Comentários desta notícia

Publicidade