REVISTA TAE - Copasa investirá R$ 420 milhões em saneamento

Esta notícia já foi visualizada 621 vezes.

Copasa investirá R$ 420 milhões em saneamento

Data:17/12/2018- Fonte:www.aesbe.org.br

Montante, viabilizado por contrato firmado entre Copasa e banco alemão, será destinado à melhoria do esgotamento sanitário em 27 municípios do estado

Por Assessoria de Imprensa da Copasa

O recurso de aproximadamente R$ 420 milhões será aplicado em empreendimentos em 27 municípios mineiros.

Foi assinado na manhã da última quinta-feira (13), um contrato de operação de crédito de longo prazo entre a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e o Banco Alemão de Desenvolvimento KfW. O acordo irá viabilizar um investimento de aproximadamente R$ 420 milhões para empreendimentos de esgotamento sanitário, eficiência energética e mobilização social em 27 municípios mineiros.

As obras financiadas visam contribuir para a universalização da coleta e tratamento de esgoto no estado. Estão contemplados os municípios de Belo Horizonte, e municípios da Região Metropolitana, como Contagem e Betim, além de Montes Claros, Teófilo Otoni, Divinópolis, Três Corações e outras localidades de diversas regiões de Minas. Dessa forma, a Copasa já deixa equacionada a fonte de recursos externos para dar continuidade ao Programa Plurianual de Investimentos da Companhia.

Do total de €96 (noventa e seis milhões de euros), €80 milhões foram disponibilizados pelo banco e o equivalente a €16 milhões correspondem a uma contrapartida de 20% da Companhia. Além de soluções para reduzir o consumo de energia elétrica em suas operações, a Copasa investirá também na ampliação e melhoria de estações de tratamento de esgoto e sistemas de esgotamento sanitário. “É um financiamento importante, especialmente nas questões relacionadas ao esgotamento sanitário com toda sua repercussão positiva para a questão ambiental”, sinalizou a presidente da Copasa, Sinara Meireles.

Estão previstas, ainda, ações de mobilização, comunicação e sensibilização da sociedade para mantê-la informada sobre os benefícios das obras para as comunidades e para o meio ambiente. “É importante cada vez mais que a população conheça as obras de saneamento e utilize a infraestrutura adequadamente”, afirmou a presidente.

Confiança do mercado

A Copasa, durante o processo de negociação, estava trabalhando com uma previsão de juros fixos de 2% ao ano, aprovada pelo seu Conselho – taxas extremamente baixas no contexto brasileiro. O diretor financeiro da Companhia, Frederico Delfino, contudo, anunciou durante a celebração de assinatura do contrato, que o Banco KfW concedeu uma taxa efetiva de 1,41%, bem menor que a atual Selic (6,5% a.a.).

“Esse é o resultado da análise de risco da Companhia feita pelo agente externo, o que demonstra saúde financeira e condições adequadas para o cumprimento de suas obrigações”, destacou o diretor, informando que na avaliação da agência de rating Moody’s, a classificação da Copasa passou de “estável” para “positiva”.

A construção do contrato junto ao banco durou cerca de um ano. Entre as etapas do processo estava a validação da proposta de escopo do financiamento, contendo os projetos das obras que seriam implementadas. “O perfil da situação da Copasa no momento da negociação foi determinante para que o banco aprovasse a solicitação de financiamento”, explicou a Sinara Meireles. O prazo do financiamento será de 15 anos, incluídos cinco anos de carência, com pagamentos semestrais.

Próximos passos Depois da assinatura do contrato, será iniciada a fase de estruturação das licitações e preparação dos editais para o início das obras. “A Companhia tem uma importante sequência de trabalho que é a instituição da Unidade de Gerenciamento de Programa, grupo formado por profissionais da Copasa que vão se dedicar ao acompanhamento das diversas ações que envolvem os empreendimentos financiados”, disse. A equipe tem papel fundamental na condução dos trabalhos, uma vez que o contrato possui um cronograma de prazo para cada obra: a Companhia tem até cinco anos para concluir e iniciar a operação dos empreendimentos.

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade