REVISTA TAE - Obras da CAEMA permitiram ampliar Sistema de Abastecimento de Água de Presidente Dutra
Esta notícia já foi visualizada 940 vezes.



Obras da CAEMA permitiram ampliar Sistema de Abastecimento de Água de Presidente Dutra

Data:18/12/2018
Fonte: Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA

Investimentos da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) que deram uma nova configuração para o Sistema de Abastecimento de Água de Presidente Dutra levaram a justiça do Estado do Maranhão a rever decisão impetrada em 2014, que suspendia faturamento do serviço de fornecimento de água tratada em bairros da sede do município. As obras para reformulação do sistema foram responsáveis por um significativo aumento da quantidade e qualidade da água tratada distribuída aos consumidores.

Para mudar uma realidade encontrada em 2014, a CAEMA, cumprindo determinações expressas do Governo do Estado, iniciou um planejamento para execução de obras emergenciais e medidas que mudassem um cenário negativo devido a diversos fatores, entre eles, condições desfavoráveis para utilização de poços existentes e a falta de investimentos ao longo dos anos anteriores a este período, que submeteram o sistema a condições de insuficiência.

Entre as ações que se intensificaram entre 2015 e 2018, a CAEMA realizou classificação e limpeza de alguns poços que já operavam, visando a melhoria de vazão captada. Além disso, foram perfurados dois novos poços de grande vazão e, ainda, feita a implantação e expansão da rede de distribuição em quase 20 km na sede. Destes novos canos implantados surgiram 300 novas ligações prediais, possibilitando a interligação de residências com a rede de distribuição e, portanto, abastecimento de água potável por parte da CAEMA para casas que não recebiam água.

Também há ainda em curso outras obras de melhoramento contínuo do serviço prestado. Destaque para perfuração de mais um poço profundo com vazão de 100 mil litros por hora, que será posto em operação brevemente, suprindo a parada de um antigo e importante poço (P-14), que hoje tem problemas de grande quantidade de ferro dissolvido. De acordo com Luciano Cavalcante, gerente Regional da CAEMA em Presidente Dutra, este novo poço com profundidade de 300 metros vai abastecer uma grande região, incluindo a área do Socorrão e adjacências.

“Todas essas atitudes resultam em uma reconfiguração e constante aprimoramento de operação do sistema, levando mais água para atender a população de diversas áreas e também em locais onde havia desabastecimento”, explica.

Com a nova configuração, a CAEMA, voltará a contar com o faturamento nas áreas da cidade que estavam sob suspensão. Luciano ressalta que o faturamento nesses bairros será um suporte imprescindível para manter a qualidade dos serviços. Será cobrado o fornecimento em 10 bairros que tiveram melhorias concretas de maneira direta ou indiretamente devido a execução das intervenções estratégicas, como o Bom Sucesso, Paranoá, Paulo Falcão, Cohab, Cacau, ainda algumas ruas e áreas do Centro, Campeão, Fátima, Campo Dantas e São José.

O gerente Luciano Cavalcante esclarece ainda que, dentro de todo esse conjunto, a população como maior beneficiada pelo sistema, tem participação direta na manutenção e continuidade dos serviços. Por meio do pagamento de seu consumo, ela ajuda a cobrir custos de tratamento e distribuição dos volumes de água potável que recebem em suas torneiras.

“Juntamente com o uso de hidrômetros para aferição do consumo mensal, o pagamento das faturas também ajuda no controle do desperdício da água tratada. Antes que a água chegue às torneiras das casas, uma série de custos indispensáveis para fornece-la ao consumo humano precisam ser pagos”, sintetiza Luciano.

A cobrança foi autorizada pela Justiça e já entrará em vigor em janeiro de 2019. Como forma de preservar e otimizar os valores investidos no processo de tratamento, a CAEMA em Presidente Dutra começará também em janeiro do ano que vem, um amplo e forte trabalho de hidrometração.

“Hoje nós temos um universo de 3.428 ligações hidrometradas em nossa rede, o que representa 30% de ligações de água potável. Nós queremos, a partir de janeiro, trabalhar na conscientização da importância, bem como, na implantação deste equipamento junto aos nossos usuários, para que possamos alcançar o controle do consumo em todas as ligações em áreas atendidas pela CAEMA”, disse Luciano.

Comentários desta notícia

Publicidade