REVISTA TAE - ABES presente em reunião sobre enfrentamento da crise em Brumadinho

Esta notícia já foi visualizada 271 vezes.

ABES presente em reunião sobre enfrentamento da crise em Brumadinho

Data:08/02/2019- Fonte:ABES

Suely Melo


A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, representada pelo presidente da ABES-DF, João Marcos Paes de Almeida, participou nesta quinta, 7 de fevereiro, em Brasília, da reunião de planejamento de ação integrada com foco na cooperação para o enfrentamento da crise gerada pelo acidente da barragem de Brumadinho/MG.

O encontro, no Hotel Mercure Líder, contou com a presença de representantes do CBDB (Comitê Brasileiro de Barragens), ABMS (Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica), ABGE (Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental), ABRH (Associação Brasileira de Recursos Hídricos) e outros convidados da ANA (Agência Nacional de Águas), ANM (Agência Nacional de Mineração), Defesa Civil Nacional e IICA – Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura.

A opinião de João Marcos, este foi um encontro de nivelamento das entidades e montagem de uma pauta conjunta com vistas à participação de todas elas em apoio ao subcomitê previsto na resolução 2. “A partir de todas as falas [dos presentes] será montado um documento a ser entregue pelas entidades ao ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Gustavo Canuto, provavelmente na semana de 18 a 22 de fevereiro, quando acontecerá um curso para servidores públicos federais sobre gestão e segurança de barragens”, conta. “Os representantes do MDR externaram que o ministro está muito receptivo às entidades e à academia e que não vai deixar Brumadinho cair no esquecimento como Mariana”, completa o presidente da ABES-DF.

“Na fala da ABES, coloquei a necessidade de previsão na revisão da lei e que o custo do manejo dos rejeitos tem que estar previsto em todo o processo desde o licenciamento ambiental”, diz João Marcos. “Senão ocorre como Rio Acima, em que a empresa, depois de auferir todos os lucros possíveis, quebrou, e a barragem de rejeitos agora abandonada fica sob a responsabilidade do poder público que não dispõe de recursos e que outra bomba pode estourar a qualquer momento assim como outras semelhantes”, explica. Na oportunidade, ele falou também sobre o 30º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental da ABES, que acontecerá de 16 a 19 de junho, em Natal/RN, e que “certamente abordará abordará o assunto com profundidade”.
 

+ Saiba Mais

Comentários desta notícia

Publicidade