REVISTA TAE - “Carta de Piracicaba pela Sustentabilidade” difunde a importância da educação e sensibilização ambiental na gestão de recursos hídricos
Esta notícia já foi visualizada 793 vezes.



“Carta de Piracicaba pela Sustentabilidade” difunde a importância da educação e sensibilização ambiental na gestão de recursos hídricos

Data:30/07/2019
Fonte: www.agua.org.br

O documento “Carta de Piracicaba pela Sustentabilidade”, elaborado e apresentado no dia 13 de julho pelos alunos da Pós-Graduação Lato Sensu do Curso de Gerenciamento dos Recursos Hídricos da Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba (FUMEP), tem como objetivo difundir a importância da Educação e Sensibilização Ambiental para o aprimoramento da gestão da água e consequente melhoria dos índices ambientais para o desenvolvimento sustentável das comunidades.

Segundo o secretário executivo do Consórcio PCJ e professor da disciplina “Educação Ambiental Voltada aos Recursos Hídricos”, Francisco Lahóz, a iniciativa dos estudantes da FUMEP, “mostra a necessidade do engajamento com as boas práticas ambientais que possibilitam fundamentar e orientar a implementação da Política de Recursos Hídricos, sendo uma das missões da Educação Ambiental, a sensibilização da sociedade sobre esse importante conceito”.

A Carta ressalta que o instrumento “Cobrança do Uso dos Recursos Hídricos” apresentado pela Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei 9.433/97), objetiva: reconhecer a água como bem econômico e dar ao usuário uma indicação de seu real valor; incentivar a racionalização do uso da água e obter recursos financeiros para o financiamento dos programas e intervenções contemplados nos Planos de Recursos Hídricos.

Para a aluna do curso, Ariela Machado, o documento tem como objetivo despertar o cidadão. “A carta é voltada para a intervenção e conscientização das pessoas sobre a importância da melhoria dos recursos hídricos e da gestão do meio ambiente para garantir um desenvolvimento sustentável de nossa bacia hidrográfica”, comenta.

Árvores do tipo Leucenas gera preocupação

No documento, há também o fomento ao compartilhamento de experiências na área, principalmente, quanto à sensibilização. Como exemplo, os alunos participaram de um “estudo do meio”, promovido pela disciplina lecionada por Lahóz ao visitarem área do percurso urbano do Rio Piracicaba, em Piracicaba (SP), na área entre o shopping da cidade, hotéis, a famosa região gastronômica da Rua do Porto e a Prefeitura, em que se notou alta concentração de árvores do tipo leucena, consideradas exóticas para a nossa região.

Essa espécie é proveniente da América Central, mas se espalhou por diversas regiões do país, fato que provocou a abertura de debate sobre a presença dessas árvores na fauna nacional e seus impactos.

Com ampla distribuição por todo o território nacional, a leucena invade os mais variados tipos de ambientes e ecossistemas, sendo bastante preocupante sua capacidade de se estabelecer e dominar rapidamente áreas da Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica. Nesses locais, a leucena forma verdadeiros “desertos verdes”. Ela impede que a riqueza e diversidade vegetal da área se restabeleçam e consequentemente de toda a vida animal que depende dessas plantas como fonte de alimento, abrigo e refúgio, comprometendo assim, todos os processos ecológicos naturais.

Os alunos assumiram o compromisso de agirem como agentes multiplicadores na sensibilização da comunidade sobre a necessidade da erradicação dessa planta invasora, porém, sempre realizando um completo relatório técnico justificando a intervenção, acompanhado de projeto prevendo a substituição das arvores retiradas, por outras nativas, de forma a contribuir com o enriquecimento de nossas espécies florestais.

Foi firmado um pacto de estímulo para que todas as entidades e instituições, públicas e privadas, além de técnicos em geral que já tenham experiência prática de sucesso na retirada da leucena, que mantenham contato passando um histórico das ações realizadas, na tentativa da montagem de um significativo cadastro, que contribua como embasamento para novas intervenções, propagando-se a iniciativa por todo o país.

Lahóz evidenciou na ocasião que “a ação predadora ambiental da Leucena é forte e devastadora, exigindo a união e organização de todos os envolvidos com o setor ou atingidos por ela, visando uma ação rápida e eficiente, embasada tecnicamente e implementada por práticas ambientalmente indicadas”.

CARTA DE PIRACICABA PELA SUSTENTABILIDADE

Comentários desta notícia

Publicidade