REVISTA TAE - Estação de tratamento de esgoto reduz consumo de energia em 27%
Esta notícia já foi visualizada 917 vezes.



Estação de tratamento de esgoto reduz consumo de energia em 27%

Data:14/10/2019
Fonte: Assessoria de imprensa

O bairro de Vila Paraíso, da cidade de Caxias, no Maranhão, tem uma estação de tratamento de esgoto (ETE) que atende duas mil residências, com uma vazão de 34,00 m³/h. O sistema principal da ETE consistia em dois sopradores de 7,5 CV cada, funcionando de forma alternada, a cada seis horas, acionados por um painel com PLC, para enviarem ar para os reatores aerados, no intuito de manterem vivas as bactérias do processo de decomposição dos dejetos.

O PLC teve problema e o sistema passou a funcionar de forma manual pelo operador da estação. O SAAE e o representante Danfoss da região, João Eyder, desenvolveram um projeto de automação dos sopradores que mandam ar para os reatores aerados para reduzir o faturamento da conta de consumo de energia elétrica. Por não existir projeto anterior, esquema elétrico e programa de automação, foi aplicado um conversor de frequência VLT® AutomationDrive FC 360 da Danfoss para acionar e fazer a alternância entre os sopradores, além de reduzir a frequência de funcionamento, uma vez que a quantidade de ar necessária não precisava ser maior do que 60 Hz.

O engenheiro Arnaldo Arruda, diretor administrativo do SAAE em Caxias, explica que desde 2014 a Danfoss vem realizando visitas técnicas frequentes e propondo soluções para os problemas. “A confiabilidade e a tecnologia embarcada dos equipamentos também foram decisivas para escolhermos a Danfoss, além de ter uma assistência técnica presente e atuante na nossa região.”

O conversor de frequência da Danfoss foi instalado em maio de 2019 e consistiu no uso do smart logic do drive para alternar os sopradores a cada seis horas de funcionamento. O produto da Danfoss permite uma redução de 10% na rotação dos sopradores sem prejuízo ao processo. “Qualquer redução na rotação do soprador diminui significativamente o consumo. Com a redução de 10% na velocidade do soprador, a potência é diminuída em 27%. Uma vez que a energia é o produto da potência pelo tempo (KWh), a energia consumida também será reduzida em 27%”, finaliza Arruda.

Comentários desta notícia

Publicidade