REVISTA TAE - Primeira reunião da Sala de Crise da Cheia do Rio Madeira
Esta notícia já foi visualizada 225 vezes.



Primeira reunião da Sala de Crise da Cheia do Rio Madeira

Data:24/01/2020
Fonte: Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) Agência Nacional de Águas (ANA)

por Raylton Alves - ASCOM/ANA

Andréa Trindade / Banco de Imagens ANA

A primeira reunião da Sala de Crise da Cheia do Rio Madeira em 2020 aconteceu na tarde desta quarta-feira, 22 de janeiro, na sede da Agência Nacional de Águas (ANA) e por videoconferência. Durante o encontro, foram apresentadas as condições do rio Madeira, que iniciou o ano com níveis elevados, quando comparado com o histórico, mas que vem apresentando uma tendência de redução dos níveis atualmente próximos aos médios históricos. 

Além disso, foi apresentada a tendência de redução dos níveis do rio Madeira e de seus afluentes para as próximas semanas. Devido às condições da bacia hidrográfica, foi discutido no encontro que não há a necessidade de deplecionamento (redução dos níveis) dos reservatórios das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau. Inicialmente as reuniões da Sala de Crise serão quinzenais, sempre às quartas-feiras às 15h. O próximo encontro acontecerá em 5 de fevereiro. 

Além da ANA, participaram da reunião de hoje representantes da Casa Civil da Presidência da República, Ministério de Minas e Energia (MME), Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), Governo do Acre, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental de Rondônia (SEDAM), Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Energia Sustentável do Brasil, dentre outras instituições. 

A Sala de Crise do Rio Madeira atua para monitorar a cheia de 2020 no rio Madeira, além de propor iniciativas de proteção da população que vive na bacia hidrográfica e para manter o tráfego nas estradas que ligam o Acre ao restante do Brasil. Os boletins sobre o rio Madeira são públicos e podem ser acessados por meio do site da ANA: https://www.ana.gov.br/sala-de-situacao/rio-madeira/rio-madeira-boletim-diario.

A bacia do rio Madeira

A bacia hidrográfica do rio Madeira tem uma área total de aproximadamente 1,35 milhões de km², o que representa cerca de 23% da bacia Amazônica. Esta bacia tem 41% de sua área no Brasil (548.960km²) e o restante na Bolívia e no Peru. Nela estão 88 municípios brasileiros, sendo 52 em Rondônia, 18 em Mato Grosso, 12 no Amazonas e seis no Acre. O rio Madeira nasce a partir do encontro dos rios Beni e Mamoré na região de fronteira entre Brasil e Bolívia e tem uma extensão de aproximadamente 3.240km. Em território brasileiro, o Madeira percorre 1.425km até se encontrar com o rio Amazonas, passando pela capital de Rondônia, Porto Velho.


Comentários desta notícia

Publicidade