REVISTA TAE - O que a rede de esgoto diz sobre nós?
Esta notícia já foi visualizada 162 vezes.



O que a rede de esgoto diz sobre nós?

Data:03/02/2020
Fonte: www.infraroi.com.br

Redação  

Limpeza da infraestrutura de coleta, em Mauá, Grande São Paulo, mostra que é necessário atuar coletivamente para evitar a obstrução da rede

A coleta e o tratamento de esgoto é uma atribuição das concessionárias – sejam públicas ou privadas. Há, porém, uma questão a se considerar: nós, como usuários dessa infraestrutura, também podemos contribuir negativamente. É o que mostram os dados da BRK Ambiental, responsável pela coleta e tratamento de esgoto em Mauá, na Grande São Paulo. Segundo a empresa, foram mais de mais de 4 mil desobstruções e manutenções nas redes e ramais de esgoto da cidade em 2019.

No ano passado, a companhia coletou 56,9 toneladas somente em resíduos sólidos que não deveriam circular pelas redes. Os mais comuns são restos de construção civil (madeira, plástico, papelão, sacos) e descartes de banheiro (papel higiênico, fio dental, absorventes, cabelo, cotonetes). Para agravar, some-se a isso os resíduos de cozinha, como resto de comida, óleo e gordura. “Por causa da má utilização das redes públicas coletoras de esgotos, despejo de resíduo sólido, ocorre a obstrução da tubulação”, resume a concessionária.

“Pequenas medidas, como o descarte adequado desses resíduos e a limpeza da caixa de gordura são eficazes contra os entupimentos e os vazamentos de esgoto em via pública”, argumenta Bruno Gravatá, responsável pela área de Operação da BRK Ambiental em Mauá. “E desta forma, com um esforço coletivo que envolve empresa, poder público e população, mais que uma obrigação legal, todos demonstrarão o compromisso com a preservação ambiental, a saúde e a qualidade de vida”, completa.

Ele destaca que do lado da concessionária existem ações de vistoria de limpeza preventiva de todo o sistema de coleta de esgotos, realizado rotineiramente pelas equipes técnicas. Já os serviços de operação e manutenção do sistema público de esgotamento sanitário são prestados de forma ininterrupta, 24hs/dia e todos os dias da semana, para casos de solicitação de emergências.

Comentários desta notícia

Publicidade