REVISTA TAE - 1º Encontro Paulista de Engenharia Ambiental
Esta notícia já foi visualizada 185 vezes.



1º Encontro Paulista de Engenharia Ambiental

Data:03/02/2020
Fonte: CETESB

Na sexta-feira, dia 31, a diretora-presidente Patrícia Iglecias participou do 1º Encontro Paulista de Engenharia Ambiental, na sede do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de São Paulo (Crea/SP), na capital. Na oportunidade, proferiu a palestra “Desafios e Oportunidades no sistema de Gestão Ambiental na esfera estadual”.

Em sua fala, a presidente discorreu sobre as principais atividades da CETESB, como o licenciamento ambiental, o atendimento a acidentes com produtos químicos, a prevenção e o controle da poluição, o monitoramento do ar, água e solo, a análise de riscos para o licenciamento de empreendimentos de grande porte e o trabalho de capacitação na área ambiental, realizado através dos cursos oferecidos pela Escola Superior da Companhia, entre outros programas e ações.

Segundo Patrícia Iglecias, a atual diretoria vem aprimorando os padrões de excelência e os serviços prestados aos usuários e à população em geral, “assegurando a superação da atuação da CETESB como centro de referência nacional e internacional, no campo ambiental e na proteção da saúde pública”, afirmou.

A CETESB ocupa, atualmente, o papel de liderança na implementação de políticas ambientais que foram disseminadas no país, relacionadas direta ou indiretamente com os objetivos do desenvolvimento sustentável, seguindo um novo modelo de gestão que leva a marca “CETESB para todos”. Por meio da Célula de Inteligência implantada pela Presidência, foi possível, por exemplo, alcançar a marca de 60.267 pedidos de licenças analisados durante em 2019, com uma média de 236 solicitações atendidas por dia útil, o que representa 36,8% a mais de produtividade em relação ao ano anterior.

Em termos de viabilização de investimentos no estado, Patrícia Iglecias mostrou aos presentes que, com o trabalho de análise e aprovação dos estudos e licenças ambientais pelos técnicos da Agência, houve um aporte de 13 bilhões de reais em 2019 para a implantação de projetos de terminais rodoviários, ferrovias, hidrovias, linhas de metrô, rodovias, usinas termelétricas, gasodutos e linhas de transmissão, entre outras obras de grande vulto, com reflexos diretos na economia e no aumento do mercado de trabalho em São Paulo.

A diretora-presidente falou, ainda, sobre o Acordo Ambiental São Paulo, que já conta com a adesão voluntária de 70 empresas e instituições, que se comprometeram a implementar práticas inovadoras focadas em eficiência energética, de uso racional de água e redução de emissões de gases que causam o efeito estufa; a implantação de 10 Câmaras Ambientais, um fórum de discussão entre o setor produtivo e o órgão ambiental; e ainda sobre o programa de logística reversa, prática que vem sendo incorporada ao licenciamento ambiental e que visa a redução de resíduos destinados aos aterros sanitários.

Comentários desta notícia

Publicidade