REVISTA TAE - Qualidade da água doce superficial é muito suscetível às condições ambientais
Esta notícia já foi visualizada 158 vezes.



Qualidade da água doce superficial é muito suscetível às condições ambientais

Data:06/02/2020
Fonte: www.noticias.dino.com.br

A qualidade da água doce superficial é muito suscetível às condições ambientais, às variações e impactos do clima, aos usos do solo e às atividades econômicas existentes na bacia hidrográfica.


“O aproveitamento da água consta entre os temas mais discutidos atualmente pelo empresariado brasileiro.


Diante da recente crise hídrica vivida é necessário criar um processo de conscientização gerando um canal aglutinador de ideias, discussões, propostas, análises de desafios e oportunidades para a gestão da água. O uso responsável, planejamento de soluções ambientalmente corretas, socialmente justas e economicamente viáveis garantirá a sustentabilidade. "É de fundamental importância que a população, em especial as crianças, compreenda o local em que elas vivem. Criem um poder de pertencimento, respeitem e cuidem do local onde estão inseridas", enfatiza Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News & Negócios (www.revistaecotour.news).

Os rios refletem a qualidade ambiental das cidades, regiões hidrográficas e países. Através deles é possível identificar rapidamente os valores da comunidade, a condição de saúde e de desenvolvimento social. A qualidade da água doce superficial é muito suscetível às condições ambientais, às variações e impactos do clima, aos usos do solo e às atividades econômicas existentes na bacia hidrográfica.

O aproveitamento da água consta entre os temas mais discutidos atualmente pelo empresariado brasileiro. Redução de perdas, reuso, distribuição, desperdício, educação ambiental, saneamento básico e outros fatores relevantes permitem preservar este recurso natural tão valioso. As empresas, por meio de sistemas de produção e distribuição mais eficientes, devem buscar o uso racional dos recursos naturais, a minimização dos impactos ambientais e a conservação da biodiversidade, num contexto de estratégia empresarial voltada para a sustentabilidade.

"Levantamento feito pela Organização das Nações Unidas (ONU) no Relatório Mundial sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos 2019, mostra que falta água limpa e segura para 2,1 bilhões de pessoas, enquanto 4,5 bilhões carecem de serviços sanitários", relata Vininha F. Carvalho.

Ainda de acordo com a ONU, se a degradação do ambiente natural e a pressão insustentável sobre os recursos hídricos globais continuarem no ritmo atual, 45% do Produto Interno Bruto (PIB) global e 40% da produção global de grãos estarão em risco em 2050.

Além de iniciativas de preservação da água, a sociedade precisa atuar em outros programas que impactam positivamente o clima, a agricultura sustentável e o ciclo de vida de suas embalagens.

O futuro das próximas gerações precisa estar alicerçado nas seguintes propostas:

(1) Sustentabilidade ambiental - envolve processos relacionados aos recursos naturais;

(2) Sustentabilidade sociocultural - considera a cultura local e os valores morais da comunidade;

(3) Sustentabilidade econômica - visa assegurar a distribuição da renda gerada pelo turismo para a população local);

(4) Sustentabilidade político-institucional - que visa garantir os compromissos entre os setores público privado e demais atores da sociedade civil.

"No Brasil alguns passos já estão sendo dados na direção certa, mas é preciso acelerar este caminhar para ampliar o desenvolvimento econômico e social, sempre de maneira sustentável", conclui Vininha F. Carvalho.



Website: https://www.revistaecotour.news

Comentários desta notícia

Publicidade