REVISTA TAE - Chlorum Solutions eliminou riscos do cloro gasoso na CAGECE
Esta notícia já foi visualizada 193 vezes.



Chlorum Solutions eliminou riscos do cloro gasoso na CAGECE

Data:07/02/2020
Fonte: Assessoria de imprensa

O cloro é um produto indispensável para o tratamento da água. No entanto, um dos maiores problemas enfrentados por empresas públicas e privadas desse segmento é o transporte e armazenamento do cloro liquefeito, devido à sua alta toxicidade. Foi por isso que a Chlorum Solutions, através de sua controlada Alliance Química, propôs uma solução inovadora para a CAGECE - Companhia de Água e Esgoto do Ceará. Em vez de transportar o cloro liquefeito de Recife, a 800 km de distância, o polo produtor mais próximo de Fortaleza, a Chlorum instalou uma pequena planta dentro da própria CAGECE. 


Instalada em uma área de menos de 5 mil m2, a fábrica tem capacidade produtiva de 10 toneladas de cloro por dia. “Esta operação foi viabilizada  através de um contrato de longo prazo, onde a Chlorum realizou o investimento e fornece o cloro necessário para a potabilização de agua na Cagece”, afirma Alfredo Kerzner, presidente da Chlorum Solutions.

O risco do transporte - O cloro é um produto essencial para o tratamento de água. Como é usado em menor quantidade do que na indústria, o caminho mais comum era o transporte desses centros industriais até às estações de tratamento, o que representa grandes riscos ambientais e de segurança.

Normalmente, as fábricas são instaladas em grandes polos petroquímicos, associadas à produção de PVC ou outras indústrias de grande escala. Isso faz com que a produção,  na maioria dos casos, fique longe do consumo.

A CAGECE provou que é possível fazer diferente. Antes, o cloro chegava por caminhões tanque de 18 toneladas e era preciso ficar estocado sob pressão. Agora, o cloro, em estado gasoso, apenas produzido, é injetado diretamente na água. Desta forma não existem mais os riscos relativos a compressão, transporte e manuseio deste insumo.

“Na planta, estima-se a presença de, no máximo, 10 quilos de cloro, correspondente ao produto contido nas tubulações, desde o ponto de produção até o de injeção. Essa tubulação é mantida em pressão negativa, de forma a eliminar qualquer possibilidade de vazamento”, reforça Kerzner.
No Brasil, são consumidas anualmente 33.375 toneladas de cloro gás (Abiclor,2017) para o tratamento de água. Essa quantidade circula em grandes centros urbanos e estradas de todo o país, representando um alto risco de acidentes fatais e com impactos ambientais.

Outra vantagem é a garantia de abastecimento. “Desde que a planta foi instalada, em 2014, não houve qualquer interrupção no fornecimento de cloro, mesmo em momentos difíceis, como a greve dos caminhoneiros, em 2018. Temos que entender que a cloração da água é fator importante de saúde publica e não pode ser interrompida ou reduzida”, ressalva Rogerio Leite, Diretor de Operações da CAGECE. 

Essa planta opera com tecnologia de membrana, 100% livre de poluentes e considerada BAT (Best Available Technology) para a indústria de cloro-soda pela União Europeia (Diretiva 2010/75/UE), o que faz com que os produtos sejam livres de metais pesados e resíduos tóxicos. Trata-se de uma fábrica ambientalmente correta, com baixo impacto ambiental. 

Com esse case de sucesso, o objetivo da Chlorum Solutions, controladora da  Alliance Química, é levar essa ideia a outras estações de tratamento de água. A empresa assume todos os custos de construção e operação da planta, comercializando apenas o que a empresa, sendo pública ou privada, consome. Ganha a empresa de tratamento, o meio ambiente e toda a sociedade.

Comentários desta notícia

Publicidade