REVISTA TAE - Copasa e Santa Luzia: 30 anos de qualidade em serviços e 500 milhões em investimentos
Esta notícia já foi visualizada 153 vezes.



Copasa e Santa Luzia: 30 anos de qualidade em serviços e 500 milhões em investimentos

Data:10/02/2020
Fonte: Copasa

Os serviços de saneamento básico para a população do município de Santa Luzia estão garantidos pela Copasa por mais 30 anos. Isso só foi possível, a partir da assinatura de renovação do Contrato de Programa, nesta quinta-feira, (06/02), na sede da Companhia, em Belo Horizonte. O contrato contempla a prestação dos serviços de abastecimento de água e do sistema de esgotamento sanitário da sede municipal, incluindo os bairros Pinhões, Casa Branca e o distrito de São Benedito.

Com a assinatura do contrato pelo prefeito de Santa Luzia, Delegado Christiano Augusto Xavier Ferreira, e pelo diretor-presidente da Copasa, Carlos Eduardo Castro, o município receberá cerca de R$500 milhões de investimentos, sendo que, desse montante, R$50 milhões serão aplicados nos próximos dois anos.

Somente em 2020, aproximadamente R$9 milhões já estão assegurados para várias obras, entre elas, a implantação das redes coletoras de esgoto na avenida Lucas Machado, no bairro Londrina. Também, pelo contrato, está assegurado o aporte antecipado de cinco anos do repasse de 4% da receita líquida da Copasa auferida em Santa Luzia; além de desconto para entidades filantrópicas e órgãos municipais, recuperação de ativos, aplicação da tarifa social para parcela relevante da população e programas de proteção de mananciais.

De acordo com o prefeito, essa era uma demanda muito cobrada pelo município pelo fato de a concessão estar vencida desde 2013: “É um momento muito comemorado. Isso é fruto de muito estudo e amadurecimento, por meio de um Plano Municipal de Saneamento Básico que pensou em todas as formas de melhorar os sistemas de esgotamento e abastecimento na cidade contemplada nos estudos e que, agora, neste contrato, serão priorizados com um montante significativo em investimentos. Isso irá propiciar a elevação considerável de 78 para 88% do percentual de coleta e tratamento do esgoto, em apenas um ano”, ressaltou.

O presidente da Copasa, Carlos Eduardo Castro, também comemorou: “após sete anos sem contrato, hoje formalizamos a nossa relação com o município de Santa Luzia, o que vai dar mais tranquilidade e segurança para os investimentos voltarem a acontecer. Para consolidar estes percentuais de atendimento com coleta e tratamento, citados pelo prefeito, teremos investimentos contínuos ao longo de todo o período. Isso dará a certeza de que esses investimentos serão ampliados e intensificados”. Para ele, o foco total da empresa é melhorar a qualidade na prestação dos serviços com uma atuação conjunta do município e da Copasa, em benefício dos clientes. Essa é a nossa expectativa. Por isso, hoje é um dia muito importante para a Copasa, para o Governo do Estado e para o município de Santa Luzia”, comentou.

Na solenidade estiveram presentes o prefeito, Delegado Christiano Xavier; o vice-prefeito, Pastor Sérgio; o assessor especial, Hudson de Paula e a procuradora-geral do município, Patrícia Elias. A Copasa foi representada pelo presidente da empresa, Carlos Eduardo Castro; o diretor de Operações, Guilherme Frasson; a diretora de Relacionamento e Mercado, Cristiane Schwanka; além de assessores, superintendentes e gerentes da empresa.
 
Copasa em Santa Luzia
Localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), a cidade de Santa Luzia é atendida pela Copasa com os serviços de abastecimento de água, desde outubro de 1978, e de esgoto em agosto de 1980. Atualmente, a Copasa atende 84,83% da população com os serviços de água e 73,48% com os serviços esgoto.

Desde o início da concessão, a Copasa investiu R$532 milhões. Deste montante, R$242 milhões foram aplicados na expansão e melhorias do sistema de abastecimento de água, com a implantação de 785 quilômetros de rede para interligação do município ao sistema integrado de abastecimento de água da (RMBH), composto pelo rio das Velhas e pelas represas de Rio Manso, Serra Azul e Vargem das Flores, para abastecer os cerca de 90 mil imóveis e mais de 170 mil pessoas.

Outros R$290 milhões foram destinados ao sistema de esgotamento sanitário, nas obras de implantação de redes coletoras, interceptoras, estações elevatórias e na construção de quatro Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs).

Comentários desta notícia

Publicidade