REVISTA TAE - Atlas Copco recebeu certificado ambiental
Esta notícia já foi visualizada 157 vezes.



Atlas Copco recebeu certificado ambiental

Data:12/02/2020
Fonte: www.maxpress.com.br

Certificado ambiental foi concedido à multinacional sueca
 
A Atlas Copco, líder mundial em soluções de sustentabilidade, recebeu o Certificado Ambiental ‘Selo Verde’ Digital, concedido pelo Comitê Ambiental do Jornal do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. A iniciativa visa reconhecer o trabalho de empresas preocupadas com a preservação e educação ambiental.

O objetivo é incentivar a sustentabilidade em empresas do setor público e privado e que possuem licenças operacionais emitidas pelos Órgãos Ambientais, reconhecendo que as mesmas se adequam aos critérios exigidos, bem como à política de Meio Ambiente.

Dentre as iniciativas responsáveis para que a empresa obtivesse o certificado estão quatro principais frentes: redução no consumo de água, redução no consumo de energia elétrica, destinação de resíduos e redução na emissão de CO2.

Para reduzir o consumo de água, Carlos Ribeiro, gerente de Qualidade, Segurança e Meio Ambiente na Atlas Copco Compressor Technique, explica que foi instalado um sistema de monitoramento diário, que realiza a leitura online do consumo de água, sendo possível identificar vazamentos e consequentemente tomar ações com rapidez. Além disso, foi feita a troca das torneiras por modelos com fechamento automático, evitando também o desperdício de água.

Já nas ações para reduzir o consumo de energia, Ribeiro afirma que na Companhia de Produto um dos vilões era a iluminação da fábrica, portanto foi feita a troca de todas as lâmpadas convencionais por lâmpadas de LED, o que reduziu o consumo como um todo. Outro ponto foi discutir o tempo de teste das máquinas no setor de engenharia para reduzir o tempo e até mesmo extinguir a necessidade dos testes, quando possível, por conta da similaridade de novas máquinas importadas.

Também ligado ao consumo de energia, está a emissão de CO2, outro passo dado pela companhia para a sustentabilidade. Para reduzir as emissões, o transporte aéreo dos equipamentos e peças, que emite mais CO2, foi revisto e atualmente entregas aéreas são feitas apenas em caso de urgência.

Outro projeto já finalizado e que entrará em vigor à partir de abril é a utilização de energia elétrica 100% limpa, o que levará a zero a emissão de CO2 por energia na planta do site Araguaia.
A destinação dos resíduos, tanto orgânicos quanto recicláveis, também têm um papel importante dentro da Atlas Copco. O gerente explica que são duas principais preocupações: a destinação e geração. “Foi feito um trabalho pela fábrica para a subtituição dos pallets de madeira (utilizados para transporte) pelos pallets retornáveis da Atlas Copco. Em outros fornecedores essa substituição foi feita por pallets de aço, mais resistentes e com uma vida útil muito maior”, afirma.

Segundo Ribeiro, o próximo passo será atuar na rede de ar comprimido nas linhas de montagem. 
“Estudos estão sendo realizados para substituir a nossa linha de ar comprimido atual por um sistema próprio da Atlas Copco, chamado AIRnet, eliminando assim vazamentos existentes”, conta.
De acordo com o Comitê Ambiental, o intuito do Selo Verde é “impulsionar a produção e o aperfeiçoamento de tecnologias que visem o Desenvolvimento Sustentável, aliando Tecnologia e Preservação Ambiental”. Além disso, o documento frisa a importância da preservação ambiental na sociedade civil e nas empresas para as futuras gerações.

Para 2020, Ribeiro explica que a Atlas Copco está trabalhando para aplicar novas iniciativas voltadas à preservação ambiental. “Queremos continuar contribuindo de forma positiva para que o nosso DNA esteja cada vez mais em evidência, ou seja, ajudar os nossos clientes a alcançar uma produtividade sustentável em todos os segmentos em que atuamos”, finaliza.

Comentários desta notícia

Publicidade